Em conformidade com o que foi acordado em mesa de negociação permanente, entre a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) e a Caixa Econômica Federal, acontece nos dias 16 e 17 de março a seqüência das reuniões ordinárias dos comitês de acompanhamento da rede credenciada do Saúde Caixa, iniciadas em 5 de março.

"Discutiremos todas as questões que pertinentes ao tema de saúde, tendo como destaque o Saúde Caixa", diz Plínio Pavão, Secretário de Saúde da Contraf-CUT e empregado do banco.

O regimento interno prevê que os encontros ordinários desses comitês ocorram dias antes da reunião do Conselho de Usuários, que acontecerá em 19 de março, em Brasília. Para essas primeiras reuniões dos comitês, a Contraf/CUT orienta seus representantes a procederem com um levantamento das principais carências nas regiões abrangidas por cada Gipes, com o devido registro em ata.

Coleta do abaixo-assinado tem prazo final dia 19

Como 20 de março é um sábado, o prazo final para entrega do abaixo-assinado pela melhoria da saúde na Caixa foi antecipado para sexta, dia 19 de março.

O método de utilização do abaixo-assinado foi definido pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) e diz que as entidades sindicais e associativas de todo o país devem coletar adesões ao abaixo-assinado que reivindica a criação de estruturas específicas para o Saúde Caixa e para os programas de Saúde do Trabalhador da Caixa, no mínimo uma por estado. O texto desse abaixo-assinado foi elaborado pela Fenae e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT).

Clique aqui para acessar o modelo do abaixo-assinado pela melhoria da saúde na Caixa.

Depois de preenchido, o documento precisa ser encaminhado para a sede da Contraf/CUT, em Brasília, no seguinte endereço: EQS 314/315 -Bloco A – Asa Sul – CEP 70383-400, aos cuidados de Eliane.

É fundamental que o abaixo-assinado seja subscrito por empregados da Caixa de todo o país. O documento será posteriormente encaminhado para a presidenta da empresa, Maria Fernanda Ramos Coelho, e reivindica a criação de estruturas para cuidar especificamente do Saúde Caixa e da saúde do trabalhador, desvinculadas das Gerências de Filial de Pessoas (Gipes) e subordinadas diretamente à Gerência Nacional de Saúde (Gesad). A reivindicação é para que essas unidades específicas possuam estruturas técnicas e administrativas compatíveis com suas atribuições, eliminando-se a terceirização de atividades.

A luta pela melhoria da saúde na Caixa foi reafirmada por deliberação aprovada em encontro nacional de dirigentes sindicais, em consonância com resolução definida no 25º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa (Conecef), ocorrido no fim de abril do ano passado, em Brasília (DF).

O objetivo é pressionar a empresa a corrigir diversas situações esdrúxulas enfrentadas pelos bancários, tanto em relação ao convênio médico do Saúde Caixa quanto no tocante a outros problemas de saúde.

Fonte: Contraf-CUT, com Fenae