santander_primeiro_act.jpg

Crédito: Jailton Garcia – Seeb São Paulo

santander_primeiro_act.jpg
A Contraf-CUT, sindicatos e federações assinaram nesta terça-feira, dia 16, com o Santander, o primeiro acordo coletivo com validade de dois anos e para todos os trabalhadores do banco, que é aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Também foram firmados o Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS) e os Termos de Compromisso Cabesp e Banesprev.

A cerimônia foi realizada no salão nobre do prédio do ex-Banespa, na Rua João Brícola, no centro de São Paulo. Além de representantes das entidades sindicais e da Afubesp, estiveram presentes dois sindicalistas da Comfia-CCOO (Federación de Serviços Financieros y Administrativos) e funcionários do banco na Espanha, que se encontram no Brasil para participar nesta quarta-feira, dia 17, do lançamento da campanha por um acordo marco global com o Santander e o HSBC.

Nos próximos dias, os documentos serão disponibilizados no site da Contraf-CUT.

Os acordos terão vigência até 31 de agosto de 2011, exceto a licença remunerada pré-aposentadoria ("pijama")que terminará em 31 de agosto de 2010 e a cláusula de auxílio-educação, cujo pagamento se estenderá até dezembro de 2010, para o ano letivo de 2010 e até dezembro de 2011, para o ano letivo de 2011. O banco ampliará de 1.250 para 2.000 bolsas de estudo, no valor de 50% da mensalidade com teto de R$ 350, além da manutenção das atuais bolsas concedidas aos funcionários oriundos do Real, respeitando os critérios vigentes, como a não-reprovação.

Com a assinatura, o Santander paga na folha de março nesta sexta-feira, dia 19, o prêmio de um salário para os funcionários originários do Santander que tinham completado 25 anos de casa em 1º de janeiro de 2009 e estavam na ativa em 1º de setembro de 2009. O outro salário será creditado em janeiro de 2011.

O acordo do PPRS, que garantiu o pagamento de R$ 1.250 junto com a PLR na folha de fevereiro referente ao exercício de 2009, assegura no mínimo o pagamento de R$ 1.350 no mesmo período de 2011 referente ao ano de 2010. A novidade é que o banco aceitou a reivindicação das entidades sindicais e haverá um adiantamento de R$ 540, juntamente com o pagamento da antecipação da PLR, a ser compensada quando de sua quitação.

Uma das novas conquistas sociais é a licença sem vencimentos. Os empregados poderão gozar até 30 dias, por ano, de forma ininterrupta ou não, para acompanhar hospitalização ou doença grave de cônjuge e parentes de primeiro grau (filhos, pais e irmãos) e por afinidade (sogros). Era um direito dos bancários da Espanha e agora foi estendido também aos colegas do Brasil.

"Os acordos assinados representam mais uma importante conquista dos bancários brasileiros, que servem de referência para outros bancos privados, e mostram que a mobilização e a negociação são o melhor caminho para a construção do acordo global", disse o secretário de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr.

"Foram muitas idas e vindas, mas tivemos um final bastante positivo, com a renovação e ampliação do acordo, principalmente no que diz respeito às cláusulas sociais, além de melhorarmos consideravelmente o nosso PPR", comentou a diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo e coordenadora da mesa de negociação, Rita Berlofa. "Foi a união e mobilização dos bancários e a valorização do processo negocial por parte dos trabalhadores que garantiu a renovação com ampliação de direitos", concluiu.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo