Ainda elevado, o Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no município de São Paulo, desacelerou para 0,80% em abril, ante 0,91% no mês anterior. Em abril do ano passado, o ICV teve inflação de 0,22%. O índice acumula alta de 3,44% no ano (3,04% em igual período de 2010) e de 7,33% em 12 meses.

Segundo o Dieese, a inflação é maior à medida que a renda aumenta: atingiu 6,84% para o estrato 1 (faixa da população de menor poder aquisitivo), 7,21% no estrato 2 e 7,49% no estrato 3.

Os grupos que mais pressionaram o ICV no mês passado foram Transporte (3,33%), Saúde (1,05%) e Alimentação (0,26%). Juntos, representam 58,5% dos gastos familiares e foram responsável por 0,74 ponto percentual.

No caso do Transporte, o Dieese apurou "taxas crescentes nos reajustes dos combustíveis", que passaram de 5,20%, em março, para 8,15%. O álcool teve alta de 12,07% e a gasolina, de 6,66%.

Entre os produtos que compõem o grupo Alimenação, alguns destaques foram as altas de 24,47% da batata, 11,67% da cebola, 1,62% do leite in natura e 8,42% do feijão. O preço do arroz recuou 2,78%.

Nos primeiros quatro meses do ano, o Dieese destaca elevações acima do índice geral (3,44%) dos grupos Transporte (9,84%) e Educação e Leitura (5,34%). Próximos ao ICV, ficaram Despesas Pessoais (3,07%) e Alimentação (2,64%). Abaixo do índice ou negativos, os grupos Saúde (1,87%), Habitação (1,64%), Vestuário (0,74%) e Equipamentos (-1,00%).

Fonte: Vitor Nuzzi – Rede Brasil Atual