Os bancários do Nordeste já sabem o que querem na Campanha Nacional 2011, que começa em agosto. Depois de dois dias de discussões, a Conferência Regional terminou no último sábado, dia 16, com a definição das reivindicações que o Nordeste vai defender na Conferência Nacional dos Bancários, que será realizada no final do mês, em São Paulo. Lá, os representantes da categoria vão definir a pauta nacional de reivindicações que será entregue aos bancos até o dia 10 de agosto. A Contraf-CUT participou do encontro, representada pelo secretário-geral, Marcel Barros.

Segundo Marcel, a Conferência realizada no Nordeste foi muito positiva. "Houve debates intensos e politizados. Todas as forças do movimento sindical participaram, mostrando o caráter democrático, classista e plural com que a Campanha Nacional dos Bancários vem sendo estruturada", afirmou Marcel.

Para a presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Jaqueline Mello, a pauta definida na Conferência Nacional reflete de perto os anseios da categoria no estado. "O Sindicato aplicou, em junho, uma pesquisa com os bancários pernambucanos para verificar as principais demandas para a Campanha Nacional. Essa pesquisa, que também foi realizada pelos demais sindicatos do Nordeste, balizou toda a discussão da Conferência Regional", conta.

Segundo Jaqueline, as reivindicações dos bancários são bem parecidas em todos os estados do Nordeste que participaram da Conferência Regional. "Conseguimos fazer um debate de alto nível e construímos um grupo de propostas de forma muito coesa. Essa Conferência Regional foi marcada por uma grande unidade entre as diversas correntes que compõe o movimento sindical bancário. Agora, vamos levar nossas propostas para a Conferência Nacional e defender que elas sejam incluídas na pauta de reivindicações que será entregue aos bancos", detalha Jaqueline.

As reivindicações

Os bancários do Nordeste vão defender na Conferência Nacional que o índice de reajuste salarial a ser reivindicado seja composto pela inflação do período e mais 5% de aumento real. Segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), a inflação entre 1º de setembro de 2010 e de 2011, data-base dos bancários, deve girar em torno dos 7,5%.

"Nos últimos sete anos conseguimos conquistar um reajuste acima da inflação em todas as campanhas. Queremos aumento real de salários mais uma vez e vamos lutar por isso. A saúde financeira dos bancos continua fabulosa e agora é hora das empresas valorizarem seus funcionários", ressalta a secretária de Finanças do Sindicato, Suzineide Rodrigues.

Os bancários do Nordeste também vão defender que a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) seja de três salários mais R$ 4 mil fixos. Os trabalhadores também vão propor que seja incluída na pauta a contratação total da remuneração que compõe o salário do bancário.

Entre outras reivindicações importantes, que serão propostas pelos bancários do Nordeste, estão o amento para um salário mínimo dos valores do auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação e auxílio-creche/babá; previdência complementar em todos os bancos; proteção à saúde do trabalhador, que inclua o combate às metas abusivas, ao assédio moral e à falta de segurança; Planos de Carreiras, Cargos e Salários (PCCS) em todos os bancos; medidas para proteger o emprego, como garantias contra demissões imotivadas, reversão e fim das terceirizações; e mais contratações para amenizar a sobrecarga de trabalho, acabar com as filas e melhorar o atendimento ao público.

Para o secretário-geral do Sindicato, Fabiano Félix, a Campanha Nacional dos Bancários também deverá servir para a categoria denunciar à população todos os problemas dos bancos. "Queremos fazer uma campanha para conscientizar os clientes e usuários dos bancos que a luta dos bancários também é uma luta de toda a população. Queremos melhorar significativamente o atendimento e para isso vamos exigir, nas negociações com as instituições financeiras, que as pessoas sejam atendidas em, no máximo, quinze minutos. Também vamos propor que o horário de funcionamento das agências seja ampliado, com a criação de dois turnos de trabalho para os bancários", destaca Fabiano.

Uma nova preocupação da categoria que deverá ser incluída na pauta de reivindicações diz respeito ao dispositivo de segurança recém-implantado pelos bancos que mancha de tinta as cédulas roubadas nos caixas eletrônicos. Hoje, os bancários precisam redobrar a atenção para não receber notas manchadas, além de muitas quadrilhas já terem se especializado na remoção da tinta. Os trabalhadores vão propor que, em vez da tinta, os bancos utilizem um dispositivo que incinere as cédulas e acabe com qualquer possibilidade de circulação.

Conferência Nacional

Durante a Conferência Regional, os bancários elegeram a delegação que representará e defenderá as propostas dos bancários do Nordeste na Conferência Nacional, que será realizada entre os dias 29 e 31 de julho, em São Paulo. O grupo será composto por 62 delegados, sendo 17 de Pernambuco, que poderá levar ainda dois observadores, além da presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, que já é delegada por ser integrante do Comando Nacional dos Bancários.

O secretário de Administração do Sindicato, Epaminondas Neto, conta que a delegação nordestina foi eleita em consenso por todos os sindicatos e as quatro centrais que representam os bancários do Nordeste: CUT, CTB, Intersindical e Conlutas. "Foi uma Conferência histórica. A unidade dos bancários e o fortalecimento da categoria superaram todas as divergências e conseguimos fazer um debate maduro, além de eleger uma delegação com mais representatividade", comenta Epaminondas.

Além dos bancários de Pernambuco, participaram da Conferência Regional representantes do Ceará, Alagoas, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Maranhão.

Fonte: Seec Pernambuco