Crédito: Seeb-AL
Seeb-AL
O lançamento da Campanha Nacional dos Bancários 2011 mudou a rotina do centro de Maceió nessa quinta-feira, 18 de agosto, chamando a atenção da imprensa e de grande parte da população. Com faixas, bandeiras, panfletos, banda de pífano e fogos de artifício, os bancários percorreram diversas ruas e agências para divulgar as reivindicações de 2011, convocando a categoria para a luta e buscando o apoio dos clientes e usuários.

Em cada parada foi deixado um recado para os banqueiros: se não houver avanço nas negociações, a resposta será a greve. O presidente eleito do Sindicato dos Bancários de Alagoas, Jairo França, disse aos bancários e à população que as negociações deste ano não serão fáceis, apesar do lucro de R$ 35 bilhões obtido pelos principais bancos no primeiro semestre. "A ganância e a intransigência deles continuam grandes, mas vamos lutar com todas as forças para garantir não só a mehoria nos salários, mas diversos itens da pauta de reivindicações", enfatizou.

Os diretores destacaram o tema central da Campanha, que é emprego decente para os bancários e compromisso dos bancos com o Brasil e os brasileiros. Neste sentido, cobraram o fim das metas abusivas e do assédio moral, mais investimento em segurança, novas contratações, o fim da rotatividade na mão-de-obra, melhoria do atendimento ao público e mais qualidade da rede de agências.

Após ouvirem os representantes dos trabalhadores e receberem material da Campanha, os clientes e usuários se manifestarm favoráveis ao movimento. Alguns deles criticaram o banco aonde têm conta, fazendo inúmeras reclamações. A indignação do público e as manifestações do Sindicato foram amplamente cobertas pela imprensa (jornal, rádio, TV e Web), fazendo propagar em todo o Estado um forte clima de mobilização.

O Sindicato aguarda agora a definição de um calendário nacional de lutas, a ser definido pelo Comando Nacional dos Bancários, para dar sequência às atividades de mobilização da campanha. Nos próximos dias, a diretoria também começará a visitar as agências bancárias do interior para conversar com os funcionários e prepará-los para as próximas fases da luta.

Fonte: Seeb-AL

Bancários lançam Campanha Nacional em Osasco com manifestações

 
Crédito: Seeb SP
Seeb SP O centro da cidade de Osasco foi tomado pela Campanha dos Bancários 2011. Assim como aconteceu em São Paulo no dia 12, o mote Bancário não é Máquina foi encenado na quinta-feira 18 por artistas de rua e contou com fantasias, faixas, cartazes, bandeiras, música ao vivo e a tradicional animação da categoria que chamou a atenção das pessoas que passavam no calçadão. Bancários, clientes e comerciantes da região participar da manifestação que ressaltou as reivindicações da categoria.

Logo cedo, os materiais de campanha informavam os bancários da Cidade de Deus. Mais tarde, durante o trajeto pelo calçadão do centro de Osasco, a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, falou à população e aos bancários.

"Nossa campanha reivindica melhores condições de trabalho, salário e PLR maiores para categoria, mas também uma mudança de postura dos bancos que têm obrigação de contribuir com o crescimento do país. Para isso, as instituições financeiras precisam gerar mais empregos para atender melhor os clientes", afirmou.

Antonia Maria Silva, cliente do Banco do Brasil, acompanhava a manifestação do lado de fora da agência e disse que o atendimento no banco está ruim. "Demoramos muito para ser atendidos. Nessa agência, por exemplo, são quatro mesas para prestar atendimento aos clientes, mas apenas um funcionário para realizar o serviço."

Antonia respeita a manifestação organizada pelo Sindicato, mas mostrou-se cética a respeito da melhoria no atendimento em curto prazo. "Os bancários têm o direito de protestar. É válido, mas eu particularmente não vejo solução. Desde 1997 é assim. Eu vivo registrando minha reclamação na ouvidoria do banco, mas eles simplesmente ignoram", relatou.

A secretária-geral do Sindicato, Raquel Kacelnikas, explicou para a população o sentido do mote da campanha. "Bancário não é máquina. Queremos mostrar para a sociedade o sofrimento que é trabalhar em banco."

As manifestações de lançamento da Campanha Nacional Unificada dos Bancários seguem. Nesta sexta-feira dia 19 os debates chegam aos bancários e clientes do maior centro financeiro do país, a Avenida Paulista. Na próxima semana será a vez dos corredores financeiros das zonas sul, norte, leste e oeste da capital.

Fonte: Seeb SP