Os bancários de todo o Brasil realizam nesta sexta-feira (16) um dia nacional de mobilização para cobrar remuneração digna dos bancos. Os trabalhadores cobram reajuste de 12,8%, PLR de três salários mais R$ 4.500, valorização dos pisos e das verbas, Plano de Cargos e Salários (PCS) e previdência complementar para todos os funcionários, dentre outras reivindicações.

As manifestações concluem três dias de uma jornada de luta definida pelo Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, para mobilizar os trabalhadores, dialogar com a população e pressionar os bancos a apresentarem uma proposta global que contemple as demandas da categoria para a Campanha Nacional 2011. Desta forma, foram realizadas atividades na quarta-feira (14) sobre emprego e igualdade de oportunidades e nesta quinta-feira sobre saúde e segurança bancária.

"A participação de todos é fundamental, uma vez que essa mobilização antecede a apresentação da proposta global dos bancos, prometida para a negociação agendada para terça-feira (20)", destaca Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional. "Vamos pressionar os bancos para que tragam uma proposta com avanços sobre todos esses temas que preocupam o cotidiano dos bancários, a fim de que tenhamos emprego decente", ressalta.

Para subsidiar as manifestações desta sexta, a Contraf-CUT divulgou um material específico sobre remuneração. Os sindicatos podem baixar a versão para impressão na seção de Downloads do site da Confederação.

> Clique aqui para acessar a versão para leitura on line

Remuneração decente

A discussão sobre remuneração aconteceu na terceira rodada de negociações entre o Comando Nacional e a Fenaban, na última segunda-feira (12). Os bancos mantiveram sua postura intransigente e negaram todas as reivindicações apresentadas pelos representantes dos bancários.

"Nossas reivindicações são mais do que justas. Os bancos têm que retribuir o empenho de seus funcionários, principais responsáveis pelos lucros estrondosos, que alcançaram R$ 27,4 bilhões somente no primeiro semestre do ano", reitera Carlos Cordeiro.

Lucro dos bancos – primeiro semestre de 2011 (em milhões de reais)

Itaú Unibanco

7.133

Banco do Brasil

6.290

Bradesco

5.487

Santander (IFRS)

4.154

Caixa

2.274

HSBC

611

Safra

585

Banrisul

438

Banco do Nordeste

301

Banco da Amazônia

43

Banpará

41

Banestes

50

Total

27.407

Fonte: Demonstrações contábeis dos bancos.

Enquanto afirmaram que sete anos com aumento real é "muito tempo", a remuneração dos diretores e conselheiros de administração dos bancos não para de crescer. Em 2010, por exemplo, os altos executivos do Santander embolsaram cada um, na média, R$ 381 mil por mês; os do Bradesco, R$ 380 mil mensais; e os do Itaú Unibanco, R$ 486,6 mil (diretores) e R$ 85,4 mil (conselheiros).

"O Brasil é um dos países com maior diferença entre os salários. Aqui, um executivo de banco chega a ganhar 400 vezes a renda do piso de um bancário. É preciso modificar essa situação, que contribui para que mantenhamos uma vergonhosa posição entre as dez nações mais desiguais do mundo", sustenta o presidente da Contraf-cUT.

Veja as principais reivindicações de remuneração:

– Reajuste de 12,8% (inflação do período mais aumento real de 5%).
– Piso igual ao salário mínimo do Dieese: R$ 2.297,51 (em junho).
– PLR de três salários mais R$ 4.500.
– Plano de Cargos e Salários (PCS) em todos os bancos.
– Gratificação semestral de 1,5 salário para todos os bancários.
– Contratação da remuneração total dos bancários.
– Vale-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação e auxílio creche/babá: R$ 545 cada..
– Auxílio-educação para todos os bancários.
– Previdência complementar para todos os bancários.

Confira o calendário das negociações:

Dia 16 – negociação específica com o Banco da Amazônia
Dia 20 – quarta rodada de negociação com a Fenaban
Dia 20 – negociação específica com o Banco do Brasil
Dia 21 – negociação específica com a Caixa
Dia 21 – negociação específica com o Banco do Nordeste

Fonte: Contraf-CUT