Crédito: Seeb Pará

Seeb Pará Na terceira rodada específica com o Banpará, realizada na tarde desta segunda-feira, dia 19, o Sindicato dos Bancários do Pará, a Contraf-CUT, a Fetec-CUT/CN e a Afbepa conseguiram aprofundar as negociações de várias cláusulas da minuta de reivindicações deste ano.

Veja o que esteve em negociação nesta terceira rodada com o Banpará:

. Isonomia salarial para comissionados – Banco negou a reivindicação da categoria;

. Aumento de todas as comissões – Banco também está fazendo estudo sobre esse assunto e, até novembro de 2011, deve apresentar os critérios para aumento das comissões. Sobre essa pauta, as entidades ressaltaram que as metas sociais devem ser levadas em consideração para o aumento das comissões;

. Pagamento de hora extra – As entidades denunciaram a extrapolação das horas extras sem o pagamento das mesmas. O Banpará informou que já determinou que todas as horas extras sejam pagas e que já orientou os gerentes a cumprirem a determinação. Em caso do descumprimento desta medida, o funcionário lesado deve denunciar, imediatamente, ao Sindicato;

. Incorporação de 10% da comissão – A cláusula está sob análise da diretoria do Banco e irá apresentar resposta na próxima reunião;

. Imediata efetivação nas funções – O Banco afirmou que a efetivação ocorre normalmente. Nesse sentido, as entidades solicitaram a relação dos funcionários que faltam ser efetivados;

. Descomissionamento – As entidades propuseram a criação de uma comissão paritária para que se desenvolva critérios objetivos de descomissionamentos;

. Transporte de numerário – O Banpará afirmou que já determinou a proibição de funcionários para realizarem transporte de valores. Entidades pediram para que fosse publicado, formalmente, um aviso circular sobre a determinação;

. Providências em decorrências de assaltos e sequestros – O Banco disse que já toma providências para esse tipo de situação e que vai manter o texto da minuta anterior;

. Vítimas de assalto e sequestro – Banco irá sugerir redação para essa cláusula na próxima reunião;

. Não obrigação de reconhecimento de assaltantes – O Banco disse que não obriga seus funcionários a fazer esse tipo de reconhecimento, mas alega que a obrigação é legal. As entidades pediram a publicação de um aviso circular esclarecendo que os funcionários só devem fazer reconhecimento de assaltantes mediante determinação judicial e com acompanhamento de advogado do banco;

. Assistência psicológica, médica e financeira pós-assalto – Banco vai apresentar redação para esta cláusula na próxima reunião;

. Restituição dos bens em caso de assalto – Proposta de redação para esta cláusula também será apresentada na próxima reunião;

. Prioridade de transferência para quem é vítima de assalto – O Banco disse que essa prioridade já consta no novo regulamento da instituição e que isso já tinha sido pautado no comitê trabalhista pelos representantes dos trabalhadores;

. Frequência livre para os dirigentes da Afbepa – Banco vai analisar a questão e responde na próxima rodada de negociação.

. Comissionamento engenheiros da Sulog – Entidades levaram à mesa a proposta de realinhamento salarial dos engenheiros, que foram descomisisonados este ano em abril e que são responsáveis pelas reformas e construções de unidades do Banpará. O Banco informou que a área está sob reestruturação (assim como a Sudep) e se comprometeu a rever a situação salarial dos engenheiros.

Participaram da reunião Rosalina Amorim e Neemias Rodrigues pela Contraf-CUT; Odinéa Gonçalves e Heidiany Moreno pelo Sindicato; Vera Paoloni e Érica Fabíola pela Fetec-CUT/CN; e Kátia Furtado e Cristina Quadros pela Afbepa. Pelo Banpará estiveram a diretora Márcia Miranda, a superintendente da SUDEP Alice Coelho, e o assessor diretoria do Banco Edvaldo Caribé.

PRÓXIMA NEGOCIAÇÃO COM O BANPARÁ

Está marcada para quarta-feira, dia 21, às 15h, nova rodada com o Banpará. Na pauta da reunião: cláusulas específicas de remuneração e as demais cláusulas pendentes da minuta em negociação.

Reunião com funcionários do Banpará

Nesta terça-feira, dia 20, às 18 horas, na sede do Sindicato, reunião das entidades sindicais com os tesoureiros do Banpará. Em pauta: quebra de tesoureiro.

Fonte: Seeb Pará