Acontece nesta terça-feira (20), às 16h, em São Paulo, nova rodada de negociação específica entre o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, e o Banco do Brasil. Os bancários esperam que a empresa apresente uma proposta que contemple as reivindicações da categoria. Após duas reuniões, o banco negou as demandas dos trabalhadores e adotou uma postura intransigente que frustrou os funcionários.

No primeiro encontro, realizado no dia 9, o BB rejeitou reivindicações importantes sobre jornada de trabalho e emprego, saúde, condições de trabalho e previdência. Na segundo reunião, o Comando reivindicou avanços no Plano de Carreira, com aumento no piso, nos interstícios, jornada de 6 horas para as funções comissionadas e critérios de ascensão mais claros e objetivos, como concursos e pontuação respeitada no TAO. O BB negou as propostas e ainda ameaçou com a retirada de algumas conquistas do acordo em vigor, como a trava contra descomissionamento.

"Já apresentamos praticamente todas as reivindicações da minuta específica nas negociações realizadas. Agora é a hora de o banco deixar de lado a postura de confronto que adotou até agora e apresentar uma proposta que atenda essas reivindicações", afirma Eduardo Araújo, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB (CEBB), órgão da Contraf-CUT que assessora as negociações com o banco. "O banco nada apresentou durante as negociações. Continuamos apostando no diálogo e esperamos que o BB adote uma postura madura, diferente do que ocorreu até agora", diz.

Fonte: Contraf-CUT