Crédito: Fetrafi-RS
Fetrafi-RS
Proposta do Banrisul não atende expectativas dos bancários

O Banrisul apresentou proposta ao Comando dos Banrisulenses em negociação ocorrida na tarde desta segunda-feira, dia 26, em Porto Alegre. Durante a quinta rodada específica desta Campanha Nacional, a comissão de diretores que representa o banco desde o início do processo de negociação fez uma proposta global às reivindicações discutidas nas reuniões anteriores. Entretanto, na avaliação do Comando, a proposta financeira ficou muito abaixo das expectativas dos funcionários.

O banco ofereceu 8% de reajuste salarial para todo o quadro (índice proposto pela Fenaban na última rodada de negociação geral); aumento de 10% no piso; reajuste de 14,28% para a gratificação de caixa (R$ 570,00) e aumento de 12% na RV3 paga aos operadores de negócios, totalizando R$ 400,00.

Devido à inconsistência da proposta do Banrisul, o Comando dos Banrisulenses orienta a participação massiva dos funcionários do banco nas assembleias desta segunda-feira e adesão à greve nacional da categoria, que inicia nesta terça-feira, dia 27, em todo o país.

Confira a proposta do Banrisul:

– Reajuste geral de 8%;
– Reajuste de 10% para os pisos (indo para R$ 1375,00);
– Aumento do valor mínimo da RV3 para R$ 400,00 (+ 12,68%);
– Aumento no abono e gratificação dos caixas para R$ 570 (+ 11,98%);
– Ampliar de 35% para 40% o custeamento de despesas com educação dos funcionários em cursos de graduação, mestrado e doutorado, limitado a R$ 3 mil por semestre, em áreas afins;
– Divulgar o pagamento das promoções até fins de março e efetuar o pagamento até fins de abril;
– Licença para adoção de 30 dias, extensiva aos casais homoafetivos e solteiros, independente de gênero;
– Licença paternidade de cinco dias úteis;
– Licença em caso de morte de sogro ou sogra de dois dias;
– Realizar análise ergonômica na rede de agências e Direção Geral com acompanhamento das entidades sindicais para resolver os problemas de mobiliário inadequado;
– Reavaliar o direito a receber ABAS, apesar do bancário ter se afastado das atividades por mais de 15 dias, via INSS, para tratamento médico;
– Pagar custos com cursos CPA 10 e 20 e deslocamento, mesmo em caso de reprovação;
– Prazo para os trabalhos da Comissão Paritária sobre o Plano de Carreira para junho de 2012;
– Atualizar anualmente o valor pago por km rodado ao funcionário que usa veículo para o trabalho;
– Para o empréstimo retorno férias, reduzir para 1% os juros para empréstimo no cheque especial;
– Reduzir para o valor de custo as tarifas nos empréstimos imobiliários;
– Suprimir qualquer contribuição dos empregados sobre auxílio alimentação (cesta -limentação);
– Para funcionários lotados em agências fora do RS, o valor de 13ª cesta-alimentação será pago pelo maior valor praticado ao longo dos 12 meses do ano;
– Garantia de transparência nas movimentações de pessoal do PROMOVE, de gerências e de comissionados entregue mensalmente às entidades sindicais;
– Se houver sobreposição de letras, o banco considerará o tempo de banco para concorrer às promoções, mas sem retroativo dos que foram enquadrados em 2010;
– Incentivos e prêmios serão pagos pelo banco a todos os empregados, sem discriminação a qualquer segmento (não considera RV);
– Realizar eleições diretas de CIPA’s em agências "casas A" com menos de 100 funcionários;
– Permitir visitas de profissionais de SESMT continuamente;
– Fornecer mensalmente às entidades sindicais listagem com nome dos empregados que retornaram de licença médica, indicando onde voltaram a desempenhar suas atividades, além da relação de CAT’s emitidas mensalmente;
– Manter a Comissão Paritária de Saúde;
– Pré-definir por todo ano um calendário para a Comissão Paritária de Saúde, não cabendo a nenhuma das partes desmarcar ou faltar reuniões sem justificativa relevante;
– Abordar nos processos de formação internos e capacitação de gestores assédio moral, violência organizacional e discriminação de gênero;
– Cumprir a lei federal que garante acessibilidade nos locais de trabalho e condições de trabalho para pessoas com deficiência;
– Realizar campanhas que expliquem e conscientizem funcionários e gestores sobre o que é o assédio moral e sexual;
– Bancários ficam proibidos de transportar numerário ou valor, ficando esse tipo de transporte a cargo de empresas especializadas;
– Retorno imediato da ginástica laboral;
– Manter e incluir em Instrução Normativa Interna (IN) a Comissão Paritária de Segurança, quanto às metas de transporte de valores estão estudando o redirecionamento das mesas;
– Banco se compromete a garantir periodicamente cursos de prevenção a assaltos e seqüestros;
– Fundação e Cabergs: debates serão feitos na comissão tripartite.

Fonte: Contraf-CUT com Fetrafi-RS