Crédito: Seeb São Paulo
Seeb São Paulo Uma nova proposta que contenha aumento real nos salários, PLR maior, valorização nos pisos e melhores condições de trabalho. Esse é o recado que os bancários, que completam nesta segunda-feira, dia 10, o 14º dia de paralisação nacional, estão enviando à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

"A mobilização tem de seguir cada vez mais forte. Os bancários trabalharam o ano todo, se dedicaram e têm de ser valorizados", destaca a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, orientando os trabalhadores a denunciar caso haja qualquer tipo de pressão ou ameaça.

"Não aceitamos nenhum forma de retaliação dos bancos, sejam eles públicos ou privados. Nossa greve é legítima, justa e só está ocorrendo porque as instituições financeiras ainda não apresentaram proposta que valorize de fato os funcionários", aponta.

A greve, que entra em sua terceira semana, segue forte em agências de diversos corredores na capital e de Osasco e região, além de concentrações como o Edifício Patriarca do Itaú Unibanco, São João e Verbo Divino, do Banco do Brasil, edifício Sé da Caixa Federal, entre outros.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo