Crédito: Seeb Ceará
Seeb Ceará
Sem avanços na negociação específica, greve continua no BNB

A direção do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) voltou à mesa de negociação nesta segunda-feira, dia 17, e apresentou proposta seguindo a Fenaban. O Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT e assessorado pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB, rejeitou a proposta na mesa e orienta o fortalecimento da greve até que nova proposta seja apresentada que contemple os anseios da categoria.

Após a rejeição da proposta, a negociação foi suspensa. A proposta da Fenaban é insuficiente para os bancários do BNB e sua defesa pelo governo e direção do BNB é uma discriminação e um desrespeito ao funcionalismo.

As principais reivindicações específicas dos funcionários do BNB são: isonomia, revisão do PCR, PLR social, abono das faltas da greve e revisão dos planos da Capef e Camed.

Ao final da assembleia, em Fortaleza, todos os sindicatos que integram a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB aprovaram a continuidade da greve para quebrar a intransigência do governo e negociar de forma séria com os trabalhadores.

Manifestações

O Sindicato dos Bancários do Ceará realizou na última semana mais duas manifestações no Centro Administrativo do BNB, no Passaré, envolvendo grevistas e não grevistas e o resultado é o crescimento da adesão à paralisação na Direção Geral com reflexos nas agências do Ceará e de todo o polígono.

Com a continuidade da greve no BNB, toda a diretoria do Sindicato estará engajada no fortalecimento da paralisação até a conquista das reivindicações específicas.

Para o diretor do Sindicato, Tomaz de Aquino, a greve no BNB hoje já é a maior desde 2003 e deve ser reforçada para forçar o banco a resolver as demandas específicas dos funcionários. Tomaz adianta que é preciso se preparar o espírito para a continuidade da greve mesmo no BNB, caso as reivindicações do funcionalismo não sejam atendidas.

Fonte: Seeb Ceará