Mato Grosso registra 53 ataques a caixas eletrônicos em 2012, conforme levantamento realizado pelo Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB-MT). O último ataque ocorreu no caixa do Bradesco que fica no posto de saúde de Primavera do Leste, distante a 231 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, houve explosão e o valor roubado não foi comunicado.

Enquanto o Estado soma o 53º ataque deste ano, em 2011 ocorreram 31 ações criminosas envolvendo caixas eletrônicos no mesmo período. Segundo o presidente do SEEB-MT, Arilson da Silva, a onda de ataques se mantém e a população continua sendo refém da insegurança bancária.

"Mesmo com os altos índices de ações envolvendo caixas eletrônicos, os bancos continuam sem agir para reforçar a segurança. Eles simplesmente instalam os caixas e não fazem investimento para pelo menos, dificultar as ações. As explosões continuam e o medo persiste nos municípios do nosso Estado", destaca o presidente.

Lucros

Os principais bancos que atuam no Brasil já anunciam seus lucros de 2012 e comemoram resultados positivos. Em contrapartida, nenhuma medida para conter os ataques a bancos e caixas eletrônicos foi anunciada. Segundo o presidente Arilson da Silva, os investimentos em segurança bancária equivalem a 5% do lucro dos bancos e refletem de imediato na realidade de clientes e bancários que vivem na atmosfera de insegurança.

O Banco do Brasil teve lucro líquido de R$ 2,5 bilhões no primeiro trimestre de 2012, já a Caixa Econômica Federal divulgou o balanço do primeiro trimestre, no qual registra lucro de R$ 1,2 bilhão. Juntos, os três maiores bancos privados no Brasil (Bradesco, Santander e Itaú) obtiveram R$ 11,594 bilhões em receitas com a prestação de serviços e tarifas bancárias durante os três primeiros meses de 2012. No Bradesco, o lucro foi de R$ 4,118 bilhões. O Santander Brasil expandiu para R$ 2,473 bilhões. Já o Itaú Unibanco ampliou para R$ 5,003 bilhões.

Fonte: Marcela Brito, Seeb MT