domingo, setembro 23, 2018
Home > Notícias do Sindicato > Contraf-CUT participa de encontro de mulheres bancárias em Maceió

Contraf-CUT participa de encontro de mulheres bancárias em Maceió

Crédito: Seec-AL
Seec-AL
Deise Recoaro, diretora da Contraf-CUT, durante exposição no evento

A Contraf-CUT participou no último sábado (18) do 1º Encontro de Mulheres Bancárias de Alagoas, em Maceió, dando grande contribuição para o debate sobre o engajamento das mulheres na política e no movimento sindical no Estado. A entidade foi representada por Deise Recoaro, secretária da Mulher.

O evento contou com bancárias de diversas instituições financeiras, além de lideranças femininas de outras categorias (locais e nacionais). Foi um marco histórico para as trabalhadoras do ramo financeiro no Estado, que puderam pela primeira vez discutir entre si anseios e necessidades, além de estratégias para ampliar e melhorar sua organização.

O 1º Encontro começou com uma exposição da presidente estadual da CUT, Amélia Fernandes, que abordou o tema "A origem da desigualdade de gênero". Primeira mulher eleita para comandar a Central Única dos Trabalhadores em Alagoas, Amélia despertou a atenção das participantes, iniciando um processo de intenso debate.

Em seguida, o tema em discussão foi "As mulheres bancárias e o movimento sindical", cuja exposição foi feita pela secretária da Mulher da Contraf-CUT. Ela destacou a experiência de organização e luta das trabalhadoras, apontando conquistas e desafios das mulheres.

Encerrando os debates, o tema abordado foi "As mulheres e a política", que teve um painel apresentado por Suzineide Rodrigues, diretora do Sindicato dos Bancários de Pernambuco.

"O encontro foi muito produtivo. Sentimos nas colegas que participaram o desejo de se integrar mais às lutas da mulher, da categoria bancária e dos trabalhadores em geral, que era o objetivo do evento", disse Arivoneide Moraes, diretora do Sindicato dos Bancários de Alagoas.

Segundo ela, que foi uma das organizadoras do 1º Encontro, as mulheres estão se conscientizando de que, para mudar profundamente a cultura sexista, assegurar amplamente os direitos femininos e avançar na transformação social, é necessária a participação cada vez maior da mulher nos espaços de poder, tanto na política quanto no movimento sindical.

Para Míriam Albuquerque, também diretora do Sindicato, a luta contra a discriminação, pela igualdade de oportunidades e em busca de maior participação das mulheres nas instâncias de poder deve ter o apoio de toda a sociedade.

"Foi com este espírito e a soma de esforços de vários segmentos que o último congresso nacional da CUT aprovou a paridade para os cargos de direção da Central, que serão ocupados em 50% por mulheres", afirmou. A dirigente sindical parabenizou os bancários que se inscreveram e participaram do 1º Encontro, demonstrando que estão juntos nesta luta.

Além das lideranças bancárias e não bancárias que realizaram palestras durante o 1º Encontro, participaram do evento a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT no Pará, Ray Barreto, a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT em Alagoas, Girlene Lázaro, assessoras da Secretaria da Juventude e da Secretaria da Mulher da CUT-Nacional, e outros dirigentes de entidades sindicais no Estado.

A participação das bancárias da base também foi expressiva, com a presença de colegas do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste, Bradesco, Itaú e Santander, entre outros bancos.

O 1º Encontro foi encerrado com um almoço de congratulações no Espaço Cultural dos Bancários, quando todos os participantes puderam conversar e estreitar os laços de amizade.

O sentido político do Encontro Estadual foi resumido, ao final, com uma pequena, mas sábia declaração da garota Victória Costa Ferreira, de dez aninhos de idade, que acompanhou a mãe, Denize Pereira Costa (Banco do Brasil), durante os debates: "Eu achei que o encontro quer fazer a diferença entre os trabalhadores. E entendi que a mulher deve sempre ser notada na sociedade, independente de qualquer pessoa. E também ter coragem e força de vontade para construir sua vida, sua família, no trabalho e na vida pessoal".

Fonte: Contraf-CUT com Seec-AL