Crédito: Fetrafi-RS
Fetrafi-RS
Minuta foi recebida pelo presidente do Banrisul, Túlio Zamin

A Fetrafi-RS, o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e sindicatos do Interior, juntamente com representantes do Comando dos Banrisulenses, promoveram na tarde de sexta-feira, dia 24, a entrega da pauta de reivindicações específicas dos funcionários à direção do Banrisul. A minuta foi recebida pelo presidente Túlio Zamin e alguns diretores e assessores da instituição, no 4º andar do prédio da Direção Geral, em Porto Alegre.

Zamin se prontificou a estabelecer um calendário inicial para as negociações específicas a partir desta semana.

A diretora da Fetrafi-RS, Denise Corrêa, ao entregar a minuta ao presidente do Banrisul, destacou a importância do processo de negociação específica para os banrisulenses.

"Essa pauta é fruto de intensos debates realizados no 20º Encontro Nacional dos Banrisulenses. Temos grandes expectativas para esta campanha salarial, principalmente para a negociação com o Banrisul. Queremos estabelecer um calendário e começar o processo o mais rápido possível. Esperamos negociar até a exaustão, mas com a tranquilidade e o respeito que todo o quadro de funcionários merece", afirmou Denise.

O presidente do Sindicato de Porto Alegre, Mauro Salles, destacou que há três desafios atuais para os funcionários do Banrisul: resolver os problemas da Fundação, definir o novo Plano de Carreira e encaminhar as negociações específicas da campanha salarial. "Isto além das negociações com a Fenaban, que estão adiantadas, sendo que os bancos já apresentarão uma proposta os temas de remuneração no dia 28", frisou o dirigente.

Mauro acrescentou que "esperamos um debate em bom termo com o banco, com ações dinâmicas e um processo ágil, tendo em vista o calendário que temos pela frente."

"Tenho consciência de que teremos um calendário justo e enxuto, mas entendo que teremos um processo tranquilo, assim como ocorreu em 2011 e foi bem positivo", analisou o presidente do banco. "Todos têm interesse em uma negociação com respeito entre as partes, para que possamos avançar para o bem do Banrisul", acrescentou.

"A nossa estratégia continua sendo de expansão da empresa e isso envolve mais estrutura, mais pessoas, mesmo que isto custe a última linha do balanço. Quero reafirmar nosso discurso na prática", reiterou Zamin.

Cabergs

Logo após a entrega da minuta ao Banrisul, dirigentes e delegados sindicais foram até a sede da Cabergs para encaminhar a pauta de saúde, onde foram recebidos pelos diretores Financeiro e Administrativo, José Carlos Ledur, e de Operações, Gilnei Silva Nunes.

Denise salientou a importância da Cabergs para os banrisulenses e a necessidade de mudanças, a fim de qualificar os serviços prestados aos usuários. "Temos consciência do quanto a atuação da Cabergs é significativa nos momentos em que mais precisamos, ou seja, quando ficamos doentes. Essas reivindicações representam expectativas dos usuários e devem contribuir para a melhoria da assistência prestada aos banrisulenses", observou a sindicalista.

"Estamos trabalhando para reestruturar a empresa e prestar um bom atendimento lá na base. Investimos em informática para qualificar os serviços e também ampliamos os credenciamentos no Interior do Estado, que estava bastante carente. Estamos trabalhando para transformar a Cabergs em uma empresa de saúde capaz de disputar mercado e subsidiar nossos planos", afirmou Ledur.

"No meu entender, a pauta de saúde é permanente, por isso vamos manter um bom tempo nessa discussão. Dos 13 itens que a compõem, alguns já foram atendidos", avaliou Gilnei.

Fonte: Contraf-CUT com Fetrafi-RS e Seeb Porto Alegre