Os bancos estão recusando elevar a proposta de reajuste de 6% que ofereceram aos bancários na mesa de negociação da Campanha Nacional, o que representa apenas 0,58% de aumento real, segundo o INPC, mas aumentaram em proporção muito maior a remuneração já milionária de seus diretores.

Segundo dados fornecidos pelas próprias instituições financeiras à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a remuneração média dos diretores estatutários de quatro dos maiores bancos (Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander) em 2012 será 9,7% superior à do ano passado, o que significa um aumento real de 4,17%. O estudo foi feito pelo Dieese – Rede Bancários.

A remuneração total dos diretores dos quatro bancos, que inclui as parcelas fixas, variáveis e ganhos com ações, soma este ano R$ 920,7 milhões, contra R$ R$ 839 milhões em 2011. Cada diretor estatutário do BB embolsará este ano mais de R$ 1 milhão, os do Bradesco receberão R$ 4,43 milhões cada um, os do Santander R$ 6,2 milhões e os do Itaú R$ 8, 3 milhões. Veja nos quadros abaixo:

Remuneração Total Anual da Diretoria Estatutária

 

Os gastos dos bancos com a remuneração dos diretores estatutários

 

Banco

2012

2011

2012/2011

Montante

Montante

(%)

Bradesco

408.000.000,00

451.807.534,54

-9,7%

Itaú Unibanco

125.000.000,00

111.237.786,00

12,4%

Santander

347.505.500,00

246.566.442,00

40,9%

Banco do Brasil

40.216.151,98

29.458.369,75

36,5%

Total

920.721.651,98

839.070.132,29

9,7%

Fonte: CVM

     

Notas:

     

– A Remuneração Total inclui as parcelas fixas, variáveis e ações

 

– Os valores dos montantes, em 2012, são provisionamentos

 

dos bancos para essas rubricas

   
       

Descontada a inflação pelo INPC dos últimos 12 meses,

 

de 5,3%, há um ganho real de 4,17% para o montante distribuído a título

 

de remuneração dos executivos pelos quatro bancos considerados

 
           

 

Remuneração totalanual da diretoria estatutária

 

 

2012

2011

Variação %

Remuneração Anual por diretor

Nº de Membros

Remuneração Anual por diretor

Nº de Membros

2012/2011

Bradesco

4.434.782,61

92

5.134.176,53

88

-13,6%

Itaú Unibanco

8.333.333,33

15

7.415.852,40

15

12,4%

Santander

6.205.455,36

56

5.246.094,51

47

18,3%

Banco do Brasil

1.086.923,03

37

818.288,05

36

32,8%

Fonte: CVM. Elaboração: Dieese- Rede Bancária

 

Em contrapartida ao aumento imenso da remuneração dos altos executivos, os bancos pagam a seus trabalhadores no Brasil um dos piores salários da América do Sul. Pesquisa realizada pela Contraf-CUT junto a entidades sindicais sul-americanas mostra que o piso salarial dos bancários brasileiros é de R$ 1.250,00, o equivalente a US$ 681 (ou 5,68 dólares a hora trabalhada). No Uruguai, o piso salarial do bancário era US$ 1.089 (8,38 dólares a hora) e na Argentina o salário de ingresso é quase o dobro do brasileiro: US$ 1.200 (8 dólares a hora). Veja na tabela abaixo:

Pisos salariais dos bancários – Brasil,Argentina e Uruguai (*)

 

País

Piso Salarial (US$)

Jornada de Trabalho

Salário/hora (US$)

Brasil

681,35

30h/semana

5,68

Argentina

1.200,00

37,5h/semana

8,00

Uruguai

1.089,63

32,5h/semana

8,38

(*)Dados de agosto/2012.Elaboração: Dieese – Rede Bancários

 

"Vejam que situação perversa temos no Brasil. Aqui estão os maiores lucros dos bancos, inclusive dos estrangeiros, e também as maiores remunerações dos executivos. Por que os salários dos bancários brasileiros estão entre os menores?", questiona Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.

"São práticas absurdas como essas que tornam o Brasil um dos 12 países com a pior concentração de renda do mundo e a quarta pior na América Latina, ao mesmo tempo em que ostenta o sexto lugar no ranking das maiores economias. É inadmissível que isso continue", afirma Carlos Cordeiro.

As principais reivindicações dos bancários

● Reajuste salarial de 10,25%.
● Piso salarial de R$ 2.416,38.
● PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos.
● Plano de Cargos e Salários para todos os bancários.
● Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição.
● Mais contratações, proteção contra demissões imotivadas e fim da rotatividade.
● Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral
● Mais segurança
● Igualdade de oportunidades

Fonte: Contraf-CUT