Crédito: Seeb São Paulo
Seeb São Paulo Depois de oito dias de paralisação, a Fenaban apresentou na terça-feira (25) nova proposta ao Comando Nacional dos Bancários com aumento real nos salários, pisos, verbas e nas parcelas fixas da PLR e da parcela adicional.

Aumento real nos salários

O índice proposto para reajustar os salários passou de 6% para 7,5%, correspondendo a aumento real de 2%. Já nos pisos de ingresso o reajuste é maior: 8,5% (aumento real de 2,95%).

Assim, o salário inicial do escriturário, por exemplo, passa de R$ 1.400 para R$ 1.519. Vale lembrar que o reajuste acaba refletindo também em férias, 13º salário, Fundo de Garantia, entre outras conquistas.

O quadro exemplifica por faixa salarial quanto cada bancário receberá caso a proposta seja aprovada nas assembleias dos sindicatos.

Reajuste Salarial por faixa salarial (R$)

Salário

Reajuste

Salário com reajuste

Aumento mensal absoluto

1.400,00

8,5%

1.519,00

119,00

1.900,36

8,2%

2.056,89

156,53

2.170,00

8,5%

2.354,45

184,45

2.500,00

7,5%

2.687,50

187,50

3.000,00

7,5%

3.225,00

225,00

3.500,00

7,5%

3.762,50

262,50

4.000,00

7,5%

4.300,00

300,00

4.500,00

7,5%

4.837,50

337,50

5.000,00

7,5%

5.375,00

375,00

6.000,00

7,5%

6.450,00

450,00

7.000,00

7,5%

7.525,00

525,00

8.000,00

7,5%

8.600,00

600,00

 
Parte fixa da PLR tem reajuste de 10%

Pela proposta da Fenaban, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) corresponderá a 90% do salário mais o valor fixo de R$ 1.540. Dessa forma, o valor fixo foi reajustado em 10% em relação ao ano passado.

A parcela adicional da PLR, que corresponde à distribuição linear de 2% do lucro líquido entre os bancários, também teve o teto reajustado em 10%, passando de até R$ 2.800 para até R$ 3.080. Esse valor é creditado sem desconto dos programas próprios de remuneração dos bancos.

Piso de ingresso reajustado em 8,5%

A valorização dos trabalhadores a partir do momento que ingressam na categoria é uma importante reivindicação. Por isso, o movimento sindical tem insistido nas mesas de negociação pelo aumento real nos piso. Uma forma também de combater a rotatividade no sistema financeiro, pois serve para inibir a troca de trabalhadores apenas para economizar com salários.

Pisos após 90 dias de trabalho nos bancos privados (R$)

Cargo

Quanto é

Quanto vai ficar

Reajuste

Aumento Real

Escriturário

1.400,00

1.519,00

8,50%

2,95%

Caixa/Tesoureiro

1.900,39

2.056,89

8,24%

2,70%

1º Comissionado

2.170,00

2.354,45

8,50%

2,95%

Fonte: SEEB-SP

       


Vales refeição e alimentação maiores

Da mesma forma que os pisos, os vales refeição e alimentação e a 13ª cesta-alimentação tiveram reajuste de 8,5%. O auxílio creche-babá subiu 7,5%.

Aumento maior para essas conquistas era uma das prioridades dos trabalhadores apontada inclusive em consulta feita pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região.

Reajuste maior nos auxílios refeição e alimentação (R$)

 

Auxílios

Quanto é

Quanto

Reajuste

Aumento

 

 

vai ficar

 

mensal

 

 

 

 

absoluto

Refeição

435,16

472,15

8,50%

36,99

Cesta Alimentação

339,08

367,9

8,50%

28,82

13a Cesta Alimentação

339,08

367,9

8,50%

28,82

Fonte: SEEB-SP

       

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo