Crédito: Seeb Sergipe
Seeb Sergipe O Sindicato dos Bancários de Sergipe assinou com o Banco do Estado de Sergipe (Banese), no último dia 4, o Acordo Coletivo Aditivo dos Baneseanos, em Aracaju. A força da greve resultou na conquista de 12% de reajuste na gratificação dos caixas em cima dos 7,5% conquistados junto à Fenaban, resultando num aumento significativo de 19,5%.

Além disso, houve um incremento na proposta de pagamento das ‘moedas’ (PLR – Participação nos Lucros e Resultados) para escriturário, agentes de Serviços Bancários, técnicos bancários e caixas executivos; e o auxílio de atividade física foi aumentado de R$ 65 para R$ 100.

Quanto ao PCS (Plano de Cargos e Salários), a categoria aceitou a proposta linear de indenização no valor de R$ 1.100, sem abrir mão da ação de cumprimento impetrada pelo Sindicato, com o pagamento retroativo a partir da data que deveria ser implantada, ou seja, 20 de março de 2012.

Independentemente da decisão da Justiça, o banco firmou o compromisso de implantar o novo plano a partir de janeiro de 2013. Um grande impasse é que o Sindicato defende a proposta elaborada pela Comissão Paritária, e o banco quer implantar a proposta da Deloitte, empresa de consultoria.

Na noite do dia 5, o Banese efetuou o crédito da indenização, mas alguns bancários foram excluídos. No dia 9, o presidente do Sindicato, José Souza, manteve contato com a diretora administrativa, Avilete Ramalho, cobrando providências.

A gestora informou que o banco deixou da realizar o crédito para alguns bancários, mas que está analisando e vai pagar a todos que tenham direito.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Sergipe