A Contraf-CUT, o Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, a AFBNDES e demais associações dos funcionários do BNDES recusaram, em mesa de negociação realizada nesta sexta-feira (19) no Rio, a proposta apresentada pelo banco de reajuste salarial de 7,5% e aumento de 8,5% para o auxílio-refeição, a cesta-alimentação e a 13ª cesta. Os bancários reivindicam reajuste de 10,25%.

"A proposta é insuficiente, pois não atende as reivindicações dos funcionários", afirma Carlos de Sousa, vice-presidente da Contraf-CUT. "Esperamos agora que o banco abra novas rodadas de negociações e convocamos os funcionários para que fiquem em alerta e ampliem as mobilizações", salienta o dirigente sindical.

Confira a proposta recusada:

– Reajuste salarial: as tabelas vigentes dos Planos de Cargos e Salários das Empresas serão reajustadas em 7,5%;

– Auxílio-refeição: reajuste de 8,5% para o valor total de R$ 893,98;

– Auxílio cesta-alimentação e 13ª cesta-alimentação: aderir ao benefício previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) celebrada entre a Contraf-CUT, federações e sindicatos com a Fenaban, sendo o reajuste de 8,5% para o valor de R$ 367,92;

– Programa de Assistência Educacional: as empresas do Sistema BNDES manterão o limite mensal de reembolso em todas as modalidades, sendo o reajuste em 7,5% para o valor total de R$ 768,10 por dependente regularmente inscrito;

– Prorrogação do Acordo da Jornada de Trabalho: prorrogar o acordo com vigência até 30/06/13 para 01/09/13.

– PLR: As empresas do sistema BNDES comprometem-se a abrir negociação até o dia 31 de dezembro com os empregados para discutir a PLR.

Em relação à implantação de um plano de carreira, uma reivindicação dos funcionários, o banco se comprometeu a dar continuidade ao aprimoramento à política de Recursos Humanos e a concluir o Programa de Gestão Estratégica de Pessoas (GEP – Carreira).

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Rio