terça-feira, julho 23, 2019
Home > Notícias do Sindicato > Encontros de funcionários do Itaú e Bradesco debatem transformações

Encontros de funcionários do Itaú e Bradesco debatem transformações

Crédito: Carla Natal – Contraf-CUT
Carla Natal - Contraf-CUT
Presidente da CUT, Vagner Freitas, fala durante o Encontro

Começaram nesta terça-feira (2) os encontros nacionais dos funcionários do Itaú e do Bradesco. Até quinta (4) os participantes debatem temas importantes, como conjuntura, emprego e condições de trabalho, e definem as pautas específicas de reivindicações dos trabalhadores dos dois bancos privados, bem como as estratégias para intensificar a mobilização, focando as negociações permanentes na busca de ampliar os avanços e as conquistas dos bancários.

Os dois encontros, promovidos pela Contraf-CUT, contam com a participação de dirigentes de sindicatos e federações de todo país. Os trabalhadores do Itaú estão reunidos no Rancho Silvestre (Estrada Votorantim, 700), no município de Embu (SP), e os do Bradesco, no Hotel Fazenda Hípica Atibaia (Estrada Guaxinduva, 1145), na cidade de Atibaia (SP).

Confira como foi o primeiro dia dos encontros:

Aberto Encontro Nacional dos Funcionários do Itaú com unidade e ousadia

Encontro Nacional dos Funcionários do Bradesco começa com desafios

Durante a mesa de abertura do encontro dos funcionários do Itaú, o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro, chamou a atenção dos participantes para a necessidade de promover a transformação do país, fazendo enfrentamento tanto na sociedade, em questões fundamentais como reforma tributária e democratização da mídia, quanto com o banco na defesa do emprego decente. “E para promover este embate temos que ter ousadia, esperança, mobilização e unidade”, afirmou.

No primeiro dia do encontro dos funcionários do Bradesco, o presidente da CUT, Vagner Freitas, destacou que as mudanças ocorridas no país nos últimos dez anos precisam de continuidade para atender os interesses da classe trabalhadora. “Ocorreu uma enorme transformação no país na última década, porém ainda é necessário desenvolvermos muito mais para que a renda seja melhor distribuída e alcancemos o pleno emprego. Esta é a função dos representantes dos trabalhadores. Precisamos colocar nossa estrutura no projeto de país que queremos”, disse.

Fonte: Contraf-CUT