Crédito: Jailton Garcia – Contraf-CUT
Jailton Garcia - Contraf-CUT
Entrega da pauta foi realizada na sede do banco inglês em São Paulo

A Contraf-CUT, federações e sindicatos entregaram nesta terça-feira 19 à direção do HSBC, em São Paulo, a pauta de reivindicações específicas construída a partir dos encaminhamentos aprovados no Encontro Nacional dos Funcionários, realizado em Curitiba nos dias 15, 16 e 17 de maio. A primeira rodada de negociações está marcada para o dia 2 de julho.

Estiveram presentes na entrega, na sede do banco no edifício Tower, os presidentes da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro, do Seeb Curitiba, Otávio Dias, e da Fetec Paraná, Elias Jordão, bem como os integrantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC. Pelo banco inglês compareceram João Rached e Vera Saicali (RH), Antônio Carlos e Gilmar Lepchak, das Relações Sindicais.

A pauta de reivindicações completa contém 42 cláusulas a serem negociadas com o banco inglês. Clique aqui para acessá-la na íntegra.
Está organizada entre questões relativas a remuneração, emprego e saúde e condições de trabalho.

As prioridades definidas são: o fim das demissões e a implantação de dispositivos de garantia de emprego, bem como a contratação urgente de mais bancários, o fim das terceirizações; a discussão de um plano de cargos e salários (PCS) para acabar com a atual distorção salarial entre os funcionários que ocupam os mesmos cargos e implantar uma nova tabela salarial, que preveja entre outras pontos a antiguidade e critérios de evolução vertical na empresa, a revisão dos programas de remuneração variável (PPR) e o tratamento dispensado aos acometidos por doenças ocupacionais, afastados ou não do trabalho, plano de saúde e assédio moral.

Do encontro desta terça-feira ficou acertado o seguinte calendário:
2/7: das 9h às 12h – primeira rodada de negociação

30/7: dia inteiro, segunda rodada

31/7: manhã – em caso de necessidade, de conclusão dos debates do dia anterior.

‘Esperamos que o banco atenda as reivindicações’

“Pela primeira vez, foi entregue ao HSBC documento reivindicatório na forma de minuta, visando aprimorar o processo negocial, bem como ao final das negociações, propiciar a assinatura de Acordo Coletivo Aditivo à CCT dos Bancários, junto ao banco”, afirma Alan Patrício, Secretário Jurídico da Contraf-CUT e membro da COE.

A expectativa das entidades sindicais é que haja efetividade no processo negocial e que já na próxima negociação o HSBC traga respostas às reivindicações apresentadas.

“Sabemos que dentre os itens reivindicados existem alguns que exigirão um maior detalhamento e discussões, mas também há outros que são de fácil resolução, a nosso ver, desde que realmente haja empenho na solução”, avalia Carlos Kanak, coordenador da COE HSBC e secretário de Finanças do Seeb Curitiba.

“Esperamos que a direção do HSBC compreenda que a pauta apresentada representa os problemas enfrentados no dia a dia de seus funcionários e que ao resolvê-los a empresa também sai ganhando. Não podemos admitir o aumento de eficiência do banco em detrimento da saúde e da qualidade de vida dos funcionários, sem qualquer tipo de contrapartida, nem ao menos a garantia do emprego”, protesta Miguel Pereira, secretário de Organização da Contraf-CUT.

Fonte: Contraf-CUT