Mais dois bancários foram vítimas de sequestros na quinta-feira (1º) e suas famílias viraram reféns de uma quadrilha que assaltou a agência do Banco do Brasil na cidade de Colorado, no norte do Paraná. A unidade fica na base do Sindicato dos Bancários de Paranavaí e Região, filiado à CUT.

As duas famílias de bancários passaram momentos de tensão, durante toda a noite. Segundo o delegado de Colorado, José Luis Moron, a ação dos ladrões começou com a rendição de duas famílias de funcionários do banco, que permaneceram reféns na casa do gerente até o começo da manhã. Depois, por volta das 7 horas, foram até o banco, onde renderam todos que chegavam e depois roubaram o dinheiro da agência.

Após o assalto, os ladrões fugiram levando dinheiro, uma refém e o carro de um dos bancários. Os criminosos estavam fortemente armados e fizeram muitas ameaças.

Os diretores do Sindicato, imediatamente já no período da manha, estiveram na agência, dando todo apoio aos trabalhadores e também garantindo a não abertura da unidade, que ficará fechada e abrindo, se tiver condições, somente na próxima segunda-feira (5).

Para prevenir sequestros, os bancários reivindicam o fim da guarda das chaves. Essa demanda consta na minuta nacional entregue à Fenaban e que estará em negociação na primeira rodada, a ser realizada nos dias 8 e 9 de agosto, em São Paulo.

Conforme a minuta, “os bancos deverão desvincular os empregados da guarda de chaves das agências e postos de atendimento bancário e de acesso aos seus cofres, bem como a guarda de acionadores de alarme, ficando esses serviços sob responsabilidade de empresas especializadas em segurança”.

Além disso, o Sindicato cobra a emissão imediata da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho).

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Paranavaí