sexta-feira, maio 24, 2019
Home > Notícias do Sindicato > Bancários de Cuiabá paralisam agências do Santander contra demissões

Bancários de Cuiabá paralisam agências do Santander contra demissões

Crédito: Seeb MT
Seeb MTMobilização por emprego e melhores condições de trabalho e limpeza

Os bancários paralisaram nesta quarta-feira (11) as atividades das agências do Santander de Cuiabá e Várzea Grande. A mobilização ocorre em toda base territorial da Federação dos Trabalhadores de Empresas de Crédito no Centro-Norte (Fetec-CN). 

O objetivo do protesto foi denunciar que a gestão do banco pratica demissões imotivadas, assédio moral, não oferece segurança nas agências, precariza a limpeza das agencias, trata com descaso a saúde dos funcionários, gera sobrecarga de trabalho e adoecimento dos trabalhadores.

As agências da grande Cuiabá somente abriram após as 13 horas, exceto três agências que ficaram fechadas o dia todo. São elas: Santander do Distrito Industrial, UFMT e Prefeitura de Várzea Grande. 

O diretor do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB-MT), Natércio Brito, afirma que não há funcionários suficientes para atender a grande demanda e os clientes estão revoltados pela demora no atendimento. Na segunda-feira (9), uma cliente chegou a desmaiar na fila da agência do Distrito.

Para o diretor do Sindicato e funcionário do Santander, Florisvaldo Pereira, as paralisações destacam a falta de condições de trabalho e, além disso, os bancários querem transparência por parte do banco, pois o Santander está muito preocupado com a sua gestão e esquecendo seus funcionários.

“O vice-presidente executivo sênior do Santander, José de Paiva Ferreira, chegou de dizer aos bancários em reunião neste mês que ‘demissões são normais’. Mas a Federação e os sindicatos discordam e afirmam que demissões não são legais. Queremos valorização e respeito. Sem falar na falta de segurança e limpeza nas agências”, ressalta a representante da Fetec-CN na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander e secretária-geral do SEEB-MT, Nice de Souza.


Fonte: Contraf-CUT com Seeb MT