Cerca de 50 mil vigilantes deverão ser contratados para atuar nas cidades-sede da Copa do Mundo. A previsão foi feita nesta segunda-feira (24) à Agência Sindical pelo presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV), José Boaventura Santos.

O dirigente sindical participou, em São Paulo, do II Seminário Geral de Segurança para Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014, realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na segunda e nesta terça (25).

Segundo Boaventura, a ideia é que as garantias e os direitos sejam muito mais avançados para os temporários, exatamente pelos riscos que essa condição impõe. “Porque uma coisa é o trabalhador contratado regularmente – é uma relação estável. Outra coisa são os riscos de contratos de curto prazo. Estamos trabalhando para que eles tenham condições dignas de trabalho, com segurança e todos os cuidados à saúde e à proteção”.

Já os salários deverão ser melhores para os 50 mil em comparação com o ganho médio da categoria. “Nosso pleito é que seja um valor diferenciado. Mas ainda é cedo para adiantar alguma coisa. Tudo está sendo negociado”, observa Boaventura.

A CVTV recebeu o convite da Fifa para participar do seminário e mobilizou os sindicatos de vigilantes das cidades-sede da Copa. “Praticamente todos estão presentes”, destaca Boaventura. A Fifa conclui em março a contratação das empresas do setor.

Qualificação

Para se candidatar a uma das vagas, o vigilante precisa ter, no mínimo, ensino fundamental. Outra exigência é participar das 50 horas de aula do curso de especialização exigido pela Polícia Federal. “Quem pretende atuar na Copa deve procurar escolas credenciadas pra fazer o curso”, recomenda o sindicalista.

A maior parte dos vigilantes trabalhará dentro dos estádios. A segurança externa, e do entorno, ficará por conta da Polícia Militar dos estados.

Fonte: Agência Sindical