Valor Econômico
Carolina Mandl

Mais acanhado no crédito, o HSBC Brasil teve um lucro líquido de R$ 411,4 milhões em 2013, o que representou uma retração de 66,4% na comparação com o resultado de 2012.

Sexto maior banco brasileiro em ativos, o HSBC fechou o ano passado com um estoque de R$ 62,5 bilhões em crédito, volume 7,2% maior que o de dezembro de 2012. É um avanço abaixo dos 9% obtidos pelos bancos de capital estrangeiro no país, segundo dados do Banco Central.

(O Dieese Linha Bancários está analisando o balanço do banco inglês, que a Contraf-CUT publicará assim que for concluído).

Os números divulgados ontem pela subsidiária brasileira do maior banco europeu mostram um recuo de 7,9% dos empréstimos para pessoas físicas, para R$ 15,5 bilhões.

Desde 2011, o HSBC Brasil está mais seletivo no crédito. Três anos atrás, o banco decidiu sair das operações de empréstimo consignado e de financiamento de veículos para não correntistas, com o objetivo de se concentrar no público de renda mais alta.

A mudança no banco teve início em janeiro de 2011, quando Stuart Gulliver assumiu o comando mundial da instituição com a meta de cortar custos. Entre suas ferramentas para alcançar esse objetivo está a saída de algumas operações consideradas não estratégicas.

Com o crédito mais retraído, o resultado bruto da intermediação financeira do HSBC Brasil ficou em R$ 4,89 bilhões, valor 9,4% menor em relação ao ano anterior.

Não foi só o crédito que teve impacto na retração do lucro no país. Um maior pagamento de imposto de renda e contribuição social pesou no balanço. Procurado para comentar os resultados em 2013, o banco informou que não se pronunciaria.

O índice de Basileia do HSBC fechou dezembro em 12%, o que dá pistas de que a instituição pode ter de reforçar seu capital em breve. Em fevereiro, o banco fez duas emissões de notas, somando US$ 910 milhões. Ambas vão contar como capital de nível 2.

Como já tinha sido mencionado no balanço global do HSBC, divulgado na segunda-feira, o banco pode ter perdas de até R$ 1,4 bilhão no Brasil com o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da correção da poupança durante os planos econômicos. O banco considera, porém, “improvável” algo próximo a esse teto.

O lucro antes de impostos do HSBC Holdings teve um aumento de 9%, para US$ 22,6 bilhões, mas ficou abaixo da expectativa de analistas. Os dados globais apontam um lucro antes de impostos no Brasil de US$ 351 milhões em 2013, com queda de 68,7%.