A Contraf-CUT e os Sindicatos dos Bancários do Ceará, Piauí, Pernambuco, Paraíba e Alagoas, presentes à última reunião de negociação com a Diretoria Administrativa  do BNB, no dia 7/3, cobraram resposta à reivindicação do pagamento integral da PLR 2013, tendo em vista a redução do lucro da Instituição no exercício, fato que causou apreensão  no corpo funcional em relação à quitação da segunda parcela do benefício.

Diante das cobranças, o diretor administrativo, Nelson Antonio de Souza, afirmou ter encontrado uma solução para evitar até mesmo uma possível devolução de valores adiantados em outubro do ano passado. Essa saída, segundo ele, já foi negociada com o Departamento de Controle das Estatais (DEST) e passa por uma reversão de provisões realizadas a maior no exercício de 2012, o que reduziu o lucro do Banco e motivou a distribuição de uma PLR menor do que a que efetivamente deveria ter sido quitada.

“A compensação desses valores em 2013 permitirá ao Banco quitar a segunda parcela da PLR do exercício recém findo até mesmo com uma pequena margem de acréscimo em relação à primeira parcela paga em outubro do ano passado”, explicou o diretor do Banco. A conta final da PLR, no entanto, somente será fechada no início de abril, após a realização da Assembleia dos Acionistas, marcada para o dia 28/3, informou.

Para o SEEB/CE preocupa o fato de a direção do Banco ainda não ter recebido a autorização por escrito do DEST para viabilizar a operação. Caso se confirme o pagamento nos moldes anunciados pelo Banco, será a maior PLR já paga pelo BNB desde a conquista desse benefício pelas entidades sindicais para os trabalhadores benebeanos, totalizando a distribuição de R$ 65 milhões.

“Gato escaldado tem medo de água fria. Nós lembramos bem de compromissos assumidos por direções anteriores e depois desautorizados pelo Governo, por isso vamos ficar atentos quanto ao pagamento da segunda parcela da PLR”, afirmou o coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB, Tomaz de Aquino.

AGENDA

A reunião serviu ainda para a Contraf-CUT e sindicatos reafirmarem sua posição, por princípio, contrária ao PID e agendarem atividades, tais como:

Dia 10 a 14/3 – Retomada das discussões da mesa temática sobre Saúde, com ênfase na reestruturação da Camed;

– Idem para a comissão paritária que trata de terceirização;

Dia 18 ou 19/3 – Reunião em Brasília para tratar da implantação do ponto eletrônico.

Fonte: SEEB/CE