Crédito: Jailton Garcia – Contraf-CUT
Jailton Garcia - Contraf-CUTAto contou com a presença do secretário-geral da UNI, Phillip Jennings

A solenidade de assinatura do primeiro Acordo Marco Global com o Itaú, ocorrida na última sexta-feira (21), em São Paulo, foi destacada no site da UNI Global Union, o sindicato mundial ao qual a Contraf-CUT é filiado e que representa mais de 20 milhões de trabalhadores de mais de 900 entidades sindicais do setor de serviços, como o sistema financeiro, em todo mundo. A notícia foi divulgada em português e em inglês.

> Clique aqui para ler a versão em português.

> Clique aqui para ler a versão em inglês.

Leia o texto publicado em português:

Um evento importante no Brasil: UNI assina 
um Acordo Marco global com o Banco Itaú


A UNI Global Union e seus filiados nas Américas assinaram um histórico acordo global com o Itaú, o maior banco privado do Brasil e do Hemisfério Sul. O Itaú é uma superpotência no mercado financeiro brasileiro e das Américas, e emprega cerca de 100.000 funcionários. 

A UNI tem agora 51 Acordos Marcos globais com multinacionais e grandes empresas em todo o mundo. 

O Secretário-Geral da UNI Global Union, Phillip Jennings, disse que “este Acordo Global é um passo importante para o nosso trabalho no setor financeiro. Temos trabalhado de maneira cotidiana e articulada com os nossos filiados e podemos nos sentir orgulhosos do nossos esforços”. Jennings esteve no Brasil na semana passada para assinar o acordo com a empresa.

As maiores operações do banco estão localizadas em cinco países na América do Sul: Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile, onde a empresa comprou recentemente ativos do CorpBanca, incluindo as operações desse banco na Colômbia. O Itaú está também presente nos EUA, Portugal, Japão e Áustria. 

Os sindicatos filiados dos cinco países principais – AEBU (Uruguai), Sindicato dos Empregados de Itaú (Paraguai), La Bancaria (Argentina), SNTBI e CSTEBA (Chile), Contraf-CUT (Brasil) e Contec (Brasil) participaram das negociações e do evento, junto com a UNI, da qual participaram Adriana Rosenzvaig (Secretária Regional da UNI Américas), Marcio Monzane (Chefe da UNI Finanças) e André Luís Rodrigues (Diretor da UNI Américas Finanças), além de Phillip Jennings, Secretário Geral da UNI Global Union. 

A UNI e seus sindicatos filiados negociaram durante quase dois anos de intensamente com a empresa, para chegar a este acordo que assegura os direitos fundamentais da Convenção da OIT, incluindo a liberdade de associação, o direito de se organizarem em sindicatos e realizarem negociações e acordos coletivos.

O acordo também garante a não-discriminação com base no gênero ou na raça, e busca incentivará a contratação de indígenas e deficientes físicos. 

O reconhecimento do diálogo social é o pilar do acordo e agora o desafio dos sindicatos é a aprofundar a organização em nível global e apresentar propostas que melhorem a vida dos trabalhadores em todos os países onde o Itaú atua.

Em junho, a UNI Américas Finanças e as diferentes Redes Sindicais de Trabalhadores de Bancos Multinacionais (entre elas o Itaú) se reúnem em Lima, no Peru, para avaliar a próxima fase dos trabalhos, rumo à realização de acordos com outros bancos da América Latina e o desenvolvimento de políticas comuns de atuação dos sindicatos na região. 


Fonte: Contraf-CUT com UNI Global Union