Crédito: Seeb Paraíba
Seeb Paraíba Bancários conquistaram aumento real acima da média das categorias

O levantamento anual do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese) sobre negociações salariais em 2013 mostra que 86,9% das 671 negociações analisadas obtiveram aumento acima da inflação. A parcela de categorias de trabalhadores que conseguiu aumento real ficou oito pontos percentuais abaixo do resultado de 2012 (95,1%). Na média, os salários tiveram aumento real de 1,25%.

Clique aqui para ver balanço do Dieese sobre negociações salariais

Em 7% das negociações houve apenas a reposição do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa do Dieese mostra ainda que em 6% dos acordos os trabalhadores receberam aumento inferior ao INPC.

O comércio foi o segmento que registrou maior percentual de negociações com aumento real: 98% de um total de 111 negociações. A indústria ficou em segundo lugar, com 89% de 343 acordos e o setor de serviços aparece em seguida com 78% de 217 negociações.

Bancários tiveram aumento real acima da média das categorias

Com ousadia, unidade e mobilização os bancários conquistaram 8% de reajuste sobre os salários e demais verbas (aumento real de 1,82%) e 8,5% sobre o piso salarial (ganho real de 2,29%) em 2013.

Esses ganhos dos bancários superam a média de 1,25% de aumento real das categorias em geral, conforme levantamento do Dieese.

Comparação com anos anteriores

O resultado de 2013 não foi tão bom quanto o de 2012, melhor ano para as campanhas salariais desde o início da série histórica, em 1996, mas foi avaliado de forma positiva pela situação da economia. Na comparação com os últimos anos, ficou próximo de 2010 e 2011 e superou 2008 e 2009.

De 1996 a 2003, segundo o acompanhamento feito pelo Dieese, predominaram os reajustes abaixo da inflação. Essa situação se inverteu a partir de 2004.

Fonte: Contraf-CUT com Agência Brasil e Rede Brasil Atual