sábado, outubro 19, 2019
Home > Bancos > Banco do Brasil > BB: Sindicato cobra da Gepes-JP e Super-PB o fim do assédio e do descomissionamento sem critério

BB: Sindicato cobra da Gepes-JP e Super-PB o fim do assédio e do descomissionamento sem critério

Na quarta-feira, 20 de fevereiro, a diretoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba se reuniu com o superintendente comercial do Banco do Brasil, José Soares, e o gerente da plataforma Gepes – João Pessoa, Paulo de Tarso, para tratar da onda de descomissionamento, o clima de medo nos escritórios digitais e a pressão sobre os funcionários.

O presidente do Sindicato, Marcelo Alves, e os diretores Jurandi Pereira, Magali Pontes e Paulo Henrique cobraram explicações dos representes do Banco sobre as denúncias de pressão e o clima de tensão nos locais de trabalho, decorrentes da onda de descomissionamento que vem atormentando os funcionários do Banco do Brasil, em virtude de decisões tomadas com base na GDP, devido às interpretações equivocadas que geram prejuízos para os/as avaliados/as.

O superintendente comercial, José Soares, se comprometeu de averiguar nas unidades do Banco em sua jurisdição sobre a ocorrência de fatos que estejam prejudicando os funcionários e gerando mal estar nos locais de trabalho. E, em caso afirmativo, exigir o reposicionamento das atitudes dos gestores, para que seja restabelecida a harmonia do clima organizacional.

Os sindicalistas acataram o comprometimento dos representantes do Banco em acabar com medo nos locais de trabalho e vão continuar acompanhando se as avaliações vão seguir os trâmites legais, inclusive respeitando o Acordo Coletivo de Trabalho quanto ao assunto em pauta.

“É inadmissível que a maior instituição financeira pública do País permita esse clima de medo entre os funcionários, principalmente entre os comissionados, gerado por interpretações equivocadas de quem deve primar pela aplicação correta da GDP, fornecendo os feed backs em tempo hábil, com seriedade para não prejudicar seus subordinados indevidamente. E nós, enquanto representantes da categoria bancária, vamos continuar vigilantes para que os direitos dos/as trabalhadores/as sejam respeitados”, concluiu Marcelo Alves.

Fonte: Seeb – PB