santander_negociacao.gif
santander_negociacao.gifSindicato reivindicou e após meses de negociação e protestos, saem termos do aditivo. Assembléia na Quadra, na quinta, dia 19, aprecia o acordo – (São Paulo) O Sindicato reivindicou e depois de sete meses de intensos debates foram finalizadas as negociações entre os representantes dos trabalhadores e a direção do Grupo Santander Brasil. Na sexta-feira, 13, com a conclusão da redação do aditivo, foi encerrado um processo em que os bancários mobilizados arrancaram do banco um acordo que pode servir de parâmetro em outras fusões de bancos.

Assembléias na Quadra (Rua Tabatingüera, 192, Sé) na quinta-feira, dia 19, definem se a proposta deve ser aprovada.

"Esse é um acordo histórico, sem parâmetros no setor. Abril virá com novas conquistas para uma grande parcela de trabalhadores do Santander e Real e beneficiará também boa parte dos banespianos ainda na ativa, seja com a renovação da estabilidade de 24 meses ou com a licença remunerada pré-aposentadoria", diz a diretora do Sindicato Rita Berlofa, que coordenou todo esse processo negocial.

O presidente da Afubesp, Paulo Salvador, destaca que todo o processo de negociação foi pautado pelo fim das demissões com a geração de novas vagas. "O banco não tem nenhuma razão para demitir. Agora, com o que foi negociado, estão criadas condições para manter e até gerar novas vagas", afirma. Nesse sentido, por iniciativa do movimento sindical, foi criado um centro de realocação em que já há mais de 500 inscritos, trabalhadores que podem mudar de setor e ter seus empregos mantidos.

As negociações resultaram, ainda, na renovação do aditivo específico do Santander e, de forma inédita, na criação do acordo do Real, com várias cláusulas que vão da bolsa de estudo à estabilidade pré-aposentadoria. Uma delas, rege um novo programa de licença remunerada para aposentadoria, conhecido como "pijama", nos dois bancos, no qual poderão se inscrever os trabalhadores com mais de 15 anos de casa e que estejam na estabilidade pré-aposentadoria, seja de 12 ou de 24 meses.

Independente do caso, os trabalhadores terão liberação do trabalho nos últimos 12 meses. Os funcionários que preencherem esses requisitos até março de 2010, também poderão usufruir do "pijama". Vale ressaltar, que se trata de um programa voluntário e a adesão deverá ser feita pelo interessado com manifestação pessoal.

Um outro programa de incentivo à aposentadoria também foi conquistado. Nesse caso, para aqueles que já possuem tempo para se aposentar ou que já estão aposentados. Pelo programa, o Santander pagará incentivos de R$ 4 mil a R$ 16 mil.

Pelo programa, o Santander pagará R$ 4 mil para quem tem salário bruto de até R$ 2 mil; R$ 6 mil para quem ganha de R$ 2 mil a  R$ 4 mil;  R$ 9 mil para quem ganha de R$ 4 mil a R$ 8 mil; R$ 12 mil para quem ganha de R$ 8 mil a R$ 12 mil e R$ 16 mil para quem ganha acima de R$ 12 mil. A esses valores serão acrescidos 10% para quem tem de 21 a 26 anos de empresa, 15% a quem tem de 27 e 31 anos de empresa e 20% aos acima de 31 anos empresa.

PLR proporcional – Outra importante conquista é o direito adquirido pelos trabalhadores que se aposentaram a partir de 31 de agosto de 2008. Reivindicação antiga do Sindicato, agora esses trabalhadores receberão a PLR proporcional ao período trabalhado.

"Mais uma vez o movimento sindical bancário sai na frente. Esses acordos aditivos conquistados no Santander e no Real, com a força da mobilização dos empregados desses bancos, são avanços importantes para todos os trabalhadores e vão servir de exemplo. Devem contribuir para a nossa principal luta, que é a manutenção dos empregos nas duas empresas", ressalta o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, lembrando que a luta continua por uma PLR mais justa.

Auxílio-educação – Outra grave pendência para os trabalhadores foi resolvida na reunião do dia 13. As inscrições para o auxílio-educação poderão ser feitas entre os dias 16 e 26 de março e haverá pagamento retroativo.

Fonte: SEEB – SP / Cláudia Motta
Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster