Durante assalto à agência do Banco do Brasil, que fica na Avenida Comercial Norte, na região administrativa de Taguatinga (DF), ocorrido na noite de terça-feira (30), os bandidos renderam um vigilante, um tesoureiro e um caixa que ainda estavam trabalhando no local após as 19h.

Dois homens renderam os três trabalhadores quando eles estavam repondo dinheiro em um caixa eletrônico na área externa do local, tendo sido levados para dentro da agência e feito reféns sob ameaça com armas de fogo. Eles foram obrigados a levar os assaltantes até o cofre do banco no subsolo da agência. Os bandidos conseguiram o dinheiro da unidade.

“A organização de trabalho do banco deixa os trabalhadores vulneráveis à ação de bandidos. Os bancários estavam trabalhando além da jornada de trabalho quando foram surpreendidos pelos assaltantes. Essa situação deve ser revista pelo banco para que novos incidentes não acorram”, afirmou o presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília, Eduardo Araújo, que também é funcionário do BB.

O banco reduziu o número de funcionários com a implementação da Plataforma de Suporte Operacional (PSO) e, além disso, não preencheu as vagas disponíveis.

O Sindicato avalia que a situação poderia ter sido evitada se o BB tivesse um quadro maior de funcionários na unidade. Com um maior número de bancários, o abastecimento do dinheiro no caixa eletrônico não teria ocorrido naquele horário. Além disso, a reposição do dinheiro deveria ocorrer com a presença de, pelo menos, dois vigilantes.

Todo o dinheiro roubado foi colocado em mochilas e os assaltantes saíram do local caminhado tranquilamente. Enquanto isso, os funcionários continuaram presos na agência com as mãos atadas por presilhas plásticas.

Investigação

Apenas uma cliente desconfiou da ação dos bandidos e avisou a policiais militares. A poucos metros da agência, que fica na QNE 17 de Taguatinga, há um posto da PM que recebeu a denúncia da mulher. Quando a polícia chegou no local, os assaltantes já tinham fugido.

A Polícia Civil investiga o crime, mas ainda não prendeu os bandidos. O assalto foi registrado por uma das câmeras da agência.

Saúde dos bancários

Os funcionários do Banco do Brasil que sofreram o assalto podem utilizar a consultoria psicológica do Sindicato. Também podem emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), que é um direito do trabalhador previsto em lei. O documento é fundamental para o recebimento de benefícios em caso de doenças e acidentes de trabalho quando necessário.

“Nós estamos atentos às questões dos bancários para que situações que coloquem em risco a saúde do trabalhador não voltem a acontecer. Na pauta de reivindicações que foi entregue a Fenaban, nós pedimos que os funcionários não fiquem com a guarda das chaves de cofres”, destacou o secretário de Saúde e Condições de Trabalho do Sindicato, Wadson Boaventura, que visitou a agência nesta quarta-feira (31).

Os bancários assaltados estão afastados do trabalho e deverão ter atendimento psicológico do BB pelo Programa de Assistência às Vítimas de Assalto e Sequestro (Pavas).

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Brasília

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster