Nesta sexta-feira, 11, a Contraf-CUT questionou o setor de Relações Sindicais do banco Santander sobre a convocação de trabalhadores para abertura antecipada de agências na próxima segunda-feira, 14, parte da transição tecnológica do banco.

A empresa determinou a abertura das agências em todo país com meia hora de antecedência e está convocando os gerentes de atendimento (GAs )e gerente gerais (GGs) das unidades. No Rio de Janeiro, as agências abrirão com uma hora de antecedência, às 9h, e segundo uma série de reclamações, todos os funcionários das unidades foram convocados para chegarem às 7h30.

O banco confirmou à Contraf-CUT o horário de atendimento excepcional na segunda, mas afirmou que nas agências a orientação formal do banco era somente voltada aos gerentes. De qualquer forma o representante do Santander afirmou que "o banco jamais vai trabalhar com a hipótese de não pagamento de horas-extras quando houver trabalho extraordinário".

A Contraf-CUT questionou o Santander também sobre reclamações feitas por bancários segundo as quais gestores de agências estariam negando ter autorização para reembolso de despesas de transporte no domingo. O representante do banco informou que já foi divulgado comunicado interno assegurando o reembolso de despesas de transporte e alimentação quando do trabalho no próximo domingo.

"Já são muitos os transtornos advindos num processo tão grande quanto este que ocorre na fusão entre Santander e Real. Os trabalhadores não podem ficar expostos também a esse tipo de insegurança e pressão, nem tampouco ter ameaçados seus direitos. Os sindicatos devem acompanhar de perto esse procedimento e seus desdobramentos", afirma Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT.

Fonte: Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster