Silheta Homem

Silheta HomemUm cidadão, que não é bancário e fez questão de deixar isso bem claro, postou na sua rede social o texto que reproduzimos abaixo, defendendo os bancários em greve. Isso é uma prova inequívoca de que nem tudo está perdido no país do golpe. 

“Sobre a greve dos bancários…
(Não sou um bancário)

Antes que comecem as reclamações típicas dessa época, vamos deixar algumas coisas claras:

1 – Bancário não é rico, rico são os banqueiros.
2 – Bancários batem ponto e cumprem sim as 8 horas de trabalho diárias e quase sempre ficam até mais tarde em regime de banco de horas.
3 – Bancários trabalham sentados e no ar condicionado, e isso não é sinônimo de vida boa. Eles trabalham sob alto nível de stress e muita cobrança de metas.
4 – O Bancário não vai pra casa na greve, geralmente continua trabalhando dentro da agência ou em outra que lhes deixem entrar.
5 – Não é o bancário que fecha a agência e cola cartazes, esse papel é do sindicato, que nessa categoria é bastante atuante (o meu não é).
6 – O Bancário não é melhor que você, o direito de greve dele é o mesmo que o meu e o seu, e está previsto na lei 7.783. Reclame com o seu sindicato.
7 – Nem todos, na verdade a maioria, são funcionários concursados, isso quer dizer que a estabilidade que ele tem no trabalho não é diferente de outra classe trabalhista do setor privado.

Reclamar da greve faz parte do jogo, assim como reclamamos quando outras classes trabalhistas também fazem (polícias, coleta de lixo, médicos, …). Essa é a razão da greve, mostrar a importância dessa ou daquela função. Mas julgar ou ofender um bancário por isso? Aí você está esquecendo que está se dirigindo a uma pessoa que trabalha todos os dias para sustentar sua família e está utilizando honestamente dos seus direitos para reivindicar um salário melhor ou condições mais adequadas de trabalho.

Coloque-se na posição do bancário…

… E PENSE BEM ANTES DE POSTAR/FALAR SOBRE O ASSUNTO!”

Jullyson Moraes

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster