Correio Braziliense
Diego Amorim

Embora não tenha sido tão grande, a alta da taxa básica de juros (Selic) em abril já atingiu o bolso dos brasileiros. Os juros do crediário, dos empréstimos pessoais e dos financiamentos de automóveis cresceram no mês e elevaram a média das cobranças para pessoa física, segundo a pesquisa mensal divulgada na quinta-feira (9/5) pela Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

O percentual médio cobrado pelas instituições financeiras das pessoas físicas apresentou aumento de 0,03 ponto percentual, o que corresponde a uma elevação de 0,56% ao mês, o maior patamar desde dezembro. Assim, os juros passaram de 5,40% ao mês ( 87,97% ao ano) em março para 5,43% ao mês (88,61% ao ano) em abril. E, na avaliação da Anefac, devem continuar aumentando, acompanhando a tendência de alta da Selic.

Com encargos financeiros já nas alturas (9,37% ao mês), o cartão de crédito manteve o percentual do mês anterior e se segurou na primeira colocação do ranking das maiores taxas (veja quadro). Em seguida, apareceu o cheque especial, que, apesar do pequeno recuo de 0,26% ante março, apresentou juros de 7,7% ao mês. Os empréstimos pessoais com as financeiras sustentaram a terceira posição. O maior aumento foi percebido nos juros do comércio, que atingiram a casa dos 4,1% ao mês.

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster