Crédito: Seeb BH

Seeb BH A falta de investimento em segurança fez mais vítimas no Bradesco com ocorrência de dois crimes envolvendo uma mesma agência. A família do gerente de uma agência do banco localizada às margens da BR-381 foi sequestrada no início da semana passada e liberada após o bancário ter sido levado à unidade de trabalho para a retirada de dinheiro. Essa mesma agência foi alvo na madrugada da última sexta-feira, dia 23, de invasão e explosão de um dos terminais, com quebra dos vidros e do forro de gesso do teto.

O sequestro de gerentes tem se tornado uma prática comum dos assaltantes devido à vulnerabilidade desses funcionários, que ficam com as chaves da agência e do cofre.

Segundo o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte, Carlos Augusto Vasconcelos, é absurda a falta de segurança nos bancos. "Esta é uma luta antiga do Sindicato junto à Fenaban, para que os gerentes não fiquem mais com as chaves da agência e do cofre e que esse serviço passe a ser feito por uma empresa particular. Se a medida fosse adotada, os gerentes não seriam alvo desses sequestros", afirma.

Outra questão ressaltada pelo diretor é a falta de emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) pelo Bradesco, documento essencial para que os funcionários envolvidos nas ocorrências possam passar por perícia e solicitar afastamento.

"Exigimos do banco e orientamos os funcionários sobre a emissão da CAT. Em outras ocorrências, o banco acabou por demitir o trabalhador envolvido e a CAT é uma segurança para a vítima, que pode ter problemas psicológicos com o passar do tempo e precisa de uma comprovação do ocorrido caso haja necessidade dele se afastar", explica.

O Sindicato tem alertado para o fato de que, apesar de os cinco maiores bancos terem lucrado R$ 24,6 bilhões nos seis primeiros meses de 2012, o investimento em segurança foi de apenas R$ 1,5 bilhão, cerca de 6% em comparação aos lucros.

"As cobranças têm sido feitas também junto à Fenaban e o Sindicato tem participado de reuniões para a negociação de um projeto-piloto de segurança bancária, que visa garantir mais segurança a clientes, funcionários e usuários das agências", concluiu.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb BH

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster