Crédito: Seeb Porto Alegre
Seeb Porto Alegre
Maior assembleia dos banrisulenses nos últimos 20 anos

Mais de 1,3 mil funcionários do Banrisul participaram, na tarde desta segunda-feira (27), da assembleia realizada no Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora da Pompeia, em Porto Alegre, e decidiram por maioria encerrar a greve já durava 28 dias e voltar ao trabalho nesta terça-feira (28). Por 587 votos a 428, os banrisulenses aceitaram proposta feita pelo banco durante a mediação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 4ª Região, em 10 de outubro.

No interior do Rio Grande do Sul, um total de 9 dos 38 sindicatos ainda permanecia em greve. No entanto, os banrisulenses de Santa Maria também aprovaram o fim da greve em assembleia ocorrida na tarde desta segunda-feira. As demais bases sindicais realizam assembleias na manhã desta terça-feira.

> Clique aqui para ver a íntegra da ata da mediação.

A assembleia foi histórica. O salão de festas lotou. Funcionários do Banrisul também se espalharam pelos corredores e uma sala anexa. Em razão do grande número de participantes, a votação teve que ser realizada com cédulas e urnas.

Os crachás identificadores serviram de cédulas. As credenciais eram cedidas logo após a apresentação de documentos que comprovassem o vínculo dos funcionários com o Banrisul e deram acesso à assembleia.

“Tivemos uma assembleia histórica dos banrisulenses. Não lembro de uma assembleia do SindBancários tão lotada. Foi uma das maiores dos últimos 20 anos”, avaliou o presidente do Sindicato, Everton Gimenis.

Segundo ele, a greve foi tão longa porque havia uma expectativa muito grande pela inclusão do Plano de Carreira no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco.

Uma proposta de plano de carreira chegou a ser apresentada pelo banco durante a greve, em 7 de outubro. Apesar da defesa feita pelo SindBancários, Fetrafi-RS e maioria do Comando dos Banrisulenses, o grupo de oposição à diretoria do Sindicato se posicionou contra e a assembleia decidiu por maioria recusar a proposta do banco.

Com o impasse, o Banrisul levou a greve para o TRT-RS, onde ajuizou dissídio coletivo. “A diretoria do banco preferiu seguir o caminho da intransigência, ao invés de vir para a mesa e negociar. A nossa luta por melhores condições de trabalho não terminou com a decisão dessa assembleia. Vamos continuar mobilizados para seguir conquistando direitos nos bancos”, acrescenta Gimenis.

Ao todo, 1.023 banrisulenses dos 1.305 credenciados na assembleia votaram. Ainda foram contabilizados seis votos nulos e dois em branco.

Veja o resultado da votação:

Sim (aceitação da proposta e fim da greve): 587 votos
Não (rejeição da proposta e continuidade da greve): 428 votos
Nulos: 6 votos
Brancos: 2 votos
Total de votantes: 1.023
Total de credenciados: 1.305

Proposta feita pelo Banrisul e aprovada pelos banrisulenses

– 13ª cesta-alimentação de R$ 1.085,00;
– Possibilitar ao empregado com jornada de 6h ampliar seu intervalo para mais 15 minutos;
– Manutenção da Comissão Paritária sobre o Plano de Carreira;
– PLR Banrisul de 1,8% adicional à da Fenaban;
– Reajuste de 8,5% dos benefícios diferenciados que hoje são superiores aos da Fenaban;
– PLR e 13ª cesta-alimentação extensiva aos afastados por licença saúde e acidente de trabalho;
– Compensação total dos dias parados em regime de trabalho de uma hora a mais por dia.

O Banrisul é o único que ainda permanecia em greve na Campanha Nacional 2014 em todo o país, conforme a Contraf-CUT.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Porto Alegre

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster