A CUT e a Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS) irão realizar um grande ato estadual pelo impeachment da governadora Yeda, nesta quinta-feira, 18, em Porto Alegre. A concentração será às 10h em frente à sede do Ministério Público Federal (Rua Júlio de Castilhos, esquina com a praça Rui Barbosa). Às 11h os manifestantes sairão em caminhada até a frente do Palácio Piratini.

O governo do Rio Grande do Sul tem se caracterizado pelas crises, escândalos e desrespeito ao povo gaúcho. O que vimos nos últimos dois anos foi uma administração envolvida em denúncias de corrupção. E os movimentos sociais entendem que a sociedade gaúcha está envergonhada diante da série desses escândalos que assola o governo Estadual e reforça a posição da sociedade gaúcha, onde 70% defende a saída de Yeda Crusius, como divulgou a recente pesquisa do Instituto Data Folha.

Como se não bastasse toda essa crise moral, o governo Yeda, além de não estabelecer nenhuma política para combater as consequências da crise financeira mundial no Estado, não mede esforços para destruir os serviços públicos, atacar as organizações dos servidores e criminalizar os movimentos sociais.

CUT-RS faz campanha na TV

Segundo a colunista Rosane de Oliveira, do jornal Zero Hora, "a campanha que a Central Única dos Trabalhadores está veiculando em rádio e TV desde sexta-feira, defendendo a criação de CPI na Assembleia Legislativa, é um dos mais pesados ataques já desferidos contra o governo de Yeda Crusius. Com depoimentos de pessoas aparentemente comuns levantando suspeitas contra o governo, a CUT tenta convencer os deputados que ainda não assinaram o requerimento de criação da CPI a aderirem à proposta.

"Na primeira fase da campanha criada pela agência D-3 foram investidos R$ 80 mil, segundo o presidente da CUT, Celso Woyciechowski. O custo da veiculação é dividido com federações de trabalhadores filiadas à central sindical. As inserções na TV terminam nesta segunda-feira, mas as de rádio continuam. Hoje também está sendo publicado a pedido nos jornais.

"A próxima etapa da campanha vai depender dos desdobramentos políticos. Enquanto a CUT investe na campanha publicitária, o PT segue coletando assinaturas de eleitores, num esforço para tentar convencer os deputados pela pressão popular. A deputada Stela Farias acredita que em quatro horas foram recolhidas ontem pelo menos mil assinaturas no Brique da Redenção.

"Em outra frente, o PSOL defende o impeachment da governadora, embora sem provas da existência de crime de responsabilidade, que justificaria o afastamento. A grande aposta do partido de Luciana Genro é o Ministério Público Federal, que deve apresentar até o final do mês as conclusões das investigações que continuou fazendo depois de denunciar à Justiça Federal os envolvidos na fraude do Detran."

Fonte: CUT-RS e Zero Hora

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster