Site VConfetrafiNE DSC 1088

Site VConfetrafiNE DSC 1088
Com o tema “Unidade e Resistência, nenhum direito a menos”, foi realizada a V Conferência da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Nordeste (Fetrafi-NE), na Ilha de Itamaracá – PE. Durante o evento, que aconteceu nos dias 8, 9 e 10 de julho, os bancários aprovaram a reivindicação de 5% de aumento real mais a reposição da inflação do período e debateram a defesa dos bancos públicos, do emprego, dos direitos dos bancários e da democracia.

A Conferência foi aberta pelo secretário-geral da Fetrafi-NE, Marcelo Alves, que deu as boas vindas às bancárias e aos bancários, conclamando-os a aproveitarem o máximo possível as palestras e os debates durante o evento. “Estamos vivendo um momento muito delicado no país. A presidenta eleita democraticamente foi afastada por um golpe da direita e precisamos estar unidos para traçarmos estratégias de lutas capazes de conter as ameaças do governo interino aos nossos direitos históricos. O desafio é grande, mas acreditamos na capacidade de luta e na força da nossa base”, enfatizou.

O evento, que faz parte do calendário da Campanha Nacional dos Bancários 2016, contou com representantes de todo o Nordeste, da Contraf-CUT e da CTB. Estiveram presentes pela Contraf-CUT, o presidente da entidade Roberto von der Osten, o secretário geral, Carlos de Souza, o secretário de Políticas Sindicais, Gustavo Tabatinga, o secretário de Saúde, Walcir Previtale e a secretária da Juventude, Fabiana Proscholdt.

Roberto von der Oster relatou a experiência de luta de bancários argentinos neste ano. “Nós estivemos em Buenos Aires participando da Aliança Latino-americana Em Defesa Dos Bancos Públicos. Os bancários da Argentina conseguiram uma vitória no governo do Maurício Macri. Fizeram uma campanha forte, conseguiram PLR que não tinha e também conseguiram readmitir 60 bancários do Banco Central que haviam sido demitidos. Qual a tática deles? Visibilidade para a campanha, muita movimentação na rua, acampamento na frente dos locais importantes para banco e ampliar a luta dos bancários para outros setores da sociedade”, relatou Betão.

Gustavo Tabatinga enalteceu que a conferência do Nordeste exercitou o debate da unidade e trouxe à votação apenas uma proposta. “Demostrou que as bancárias e os bancários da região estão prontos para resistência ao golpe e para o enfretamento na campanha salarial.”

Durante a abertura da Conferência, na noite de sexta-feira, o jornalista Renato Rovai, editor da revista Fórum, fez uma profunda análise de conjuntura. Ele fez uma avaliação do cenário político e econômico que resultou no impedimento da presidenta Dilma Rousseff pelo Congresso Nacional. Para o especialista, não há dúvidas de que se tratou de um golpe parlamentar e judiciário financiado, principalmente, pelo setor financeiro. Ele analisa ainda que o governo e os partidos de esquerda não se atentaram para o crescimento de uma campanha midiática de ódio nas redes sociais contra sindicatos, movimento sociais e as pessoas mais pobres.

No sábado, a Conferência teve prosseguimento com uma análise de conjuntura realizada pelos técnicos do Dieese, Jaqueline Natal e Fernando Benfica. Eles avaliaram o cenário político e econômico tomando como base as campanhas salariais de diversas categorias e analisaram ainda as dificuldades que a categoria bancária já enfrenta com o advento das novas tecnologias e com o avanço do uso dos canais digitais, o que tem um reflexo fundamental para o emprego bancário. À tarde, os bancários se reuniram em grupos para debater Emprego; Saúde do trabalhador, segurança bancária e condições de trabalho; e Remuneração.

Ao final do dia, os delegados elegeram os participantes do Nordeste à Conferência Nacional dos Bancários, marcada para 29, 30 e 31 de julho, em São Paulo.

A plenária final aconteceu durante a manhã de domingo, quando os bancários do Nordeste deliberaram sobre suas reivindicações à Conferência Nacional. Foi aprovada ainda uma moção pelo fim da cultura do estupro.

CONFIRA AS PRINCIPAIS DELIBERAÇÕES DA V CONFERÊNCIA REGIONAL DA FETRAFI-NE

Emprego
*Reposição de vagas em casos de Plano de Demissão Voluntária (PDV) ou de Planos de Incentivos à Aposentadoria;
*Jornada de 6h para todos;
* Promoções aplicadas de imediato;
*Mais contratações;
* Pré-aposentadoria: ampliação do período de 2 para 5 anos;
*Política permanente de conscientização pela manutenção do emprego.

Remuneração
Índice – 5% de aumento real mais inflação;
Piso salarial do Dieese;
Melhorias nos programas de Renda Variável e PLR.

Saúde, Segurança Bancária e Condições de Trabalho
*Fim da imposição de metas;
* Acesso dos sindicatos ao PCMSO;
* Direito dos sindicatos acompanharem funcionários em fase de reabilitação;
*Campanha de conscientização sobre saúde e segurança;
*Estudo sobre novas tecnologias da saúde do trabalho
*Campanha de prevenção de doenças ocupacionais.

Fonte: Sintrafi-PB, com Contraf-CUT/SEEB-CE

 

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster