Crédito: Seeb Porto Alegre
Seeb Porto Alegre
Manifestação dos bancários em frente ao prédio da DG do Banrisul

Apesar do ajuizamento do dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 4ª Região, os funcionários do banco completaram 18 dias de greve nesta sexta-feira (17). Nem as fortes chuvas que caíram em várias regiões do Rio Grande do Sul impediram que os banrisulenses fossem às ruas.

Depois da assembleia realizada no Clube do Comércio, em Porto Alegre, os bancários promoveram um protesto em frente ao prédio da Direção Geral (DG), na rua Caldas Junior, no centro da capital gaúcha. Nova mobilização foi marcada para a próxima segunda-feira (20).

O presidente do SindBancários, Everton Gimenis, explicou durante a assembleia que, na parte da manhã, o Comando Nacional dos Banrisulenses se reuniu, na sede da Fetrafi-RS, e por unanimidade decidiu notificar o TRT-RS de que vai contestar a decisão do Banrisul de pedir o ajuizamento do dissídio coletivo. A decisão do Comando, quando anunciada na assembleia, arrancou aplausos.

“Os dirigentes sindicais e os representantes dos banrisulenses sabem o quanto uma decisão judicial pode ser insuficiente e frustrar os avanços que propomos ao banco em nossa pauta específica. Entendemos que o Acordo Coletivo de Trabalho se resolve com negociação”, frisou Gimenis. “A mesa de negociação é o fórum mais democrático para decidirmos sobre o nosso futuro.”

Contestação ao TRT-RS

A assessoria jurídica da Fetrafi-RS vai protocolar na segunda-feira o documento de contestação no TRT-RS. Conforme a decisão do Comando, será pleiteada a extinção do processo de dissídio coletivo.

Para o Comando, a atitude do banco foi equivocada, pois a esfera legítima para resolução dos impasses da Campanha Salarial é a mesa de negociação coletiva.

Fonte: Contraf-CUT com Fetrafi-RS e Seeb Porto Alegre

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster