No dia da primeira negociação com os banqueiros, o Sindicato dos Bancários de Alagoas lançou, na quinta-feira (18), a Campanha Nacional 2016, com atos que mudaram a rotina das ruas e das agências bancárias do centro de Maceió. O recado durante os protestos foi firme e objetivo: ou a Fenaban e os bancos públicos avançam nas negociações, ou vai ter luta, paralisações e greve.

“Não vamos admitir perdas ou retrocessos. Queremos avançar nas conquistas, garantir o emprego e manter o papel social dos bancos públicos”, disse o presidente do Sindicato, Jairo França, ao se dirigir aos bancários e clientes. O clima nas agências era de expectativa em relação às negociações que já começaram, e que não tiveram sucesso nas primeiras rodadas. Diversos bancários manifestaram o desejo de lutar para pressionar os bancos e forçá-los a atender as reivindicações da categoria.

O lançamento da campanha começou por volta das 10h30, com os diretores do Sindicato saindo da frente da entidade. Usando camisas, bandeiras, faixas e cartazes, entre outros materiais da Campanha Nacional, os manifestantes coloriram as ruas e as unidades bancárias localizadas na região do comércio, sempre acompanhados de uma banda de pífano.

“Este será o espírito da nossa campanha este ano. Queremos dar visibilidade ao movimento para que repercuta na imprensa, ganhe mais apoio da população e intensifique a participação dos colegas”, ressaltou Juan Gonzalez, diretor de Comunicação do Seec-AL.

O lançamento da campanha também foi de convocação da categoria para defender o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Nordeste do Brasil e demais empresas estatais, ameaçadas pelos projetos de privatização e terceirização que tramitam no governo e no Congresso Nacional. “Este governo ilegítimo e este Congresso conservador vão tentar de tudo para acabar com os bancos públicos. Nossa resistência só funcionará se tiver o engajamento de cada bancário, sobretudo do BB, Caixa e BNB”, acrescentou Jairo.

O Sindicato reforçou o convite à categoria para participar, na noite de ontem, do lançamento da campanha “Se é Público é Para Todos”, coordenada pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas. O evento, marcado para às 18 horas, na sede do Sindicato, contou ainda com o lançamento do livro “O Brasil que queremos”, uma coletânea de artigos organizada pelo cientista político Emir Sader, que fez palestra para os presentes.

O Sindicato volta às ruas na próxima semana para dar continuidade ao lançamento da Campanha. Serão visitadas agências bancárias de outros bairros e de cidades do interior. Nesta fase, a entidade irá preparar os bancários para a mobilização e a construção da greve, caso ela venha a ser deflagrada. Material de campanha está sendo levado para as unidades.

Fonte: Seec-AL

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster