Nesta terça-feira (29), os bancários do Banco do Nordeste encerraram, em assembleia, a greve em Vitória da Conquista e região. Os funcionários do BNB mantiveram a paralisação após o fim do movimento grevista nas outras instituições, visando arrancar uma proposta que incluísse questões específicas.

Para o bancário José Bonifácio, do BNB/Vitória da Conquista, esses dias a mais na greve serviram para mostrar a insatisfação com a proposta. “Ter ficado alguns dias a mais serviu para demonstrar ao banco a necessidade de pensar nos pontos específicos que o BNB não tem conseguido resolver e empurra com a barriga há mais de cinco anos. Como por exemplo, o ponto eletrônico, PCR, Camed, Capef, dentre outros problemas”, afirmou.

Ao todo, foram 23 dias de greve com a intensa participação da categoria que tornou o movimento vitorioso pelo seu poder de mobilização. “Infelizmente não tivemos outra opção a não ser aceitar a proposta apresentada. O movimento enfraqueceu em outras regiões, o que tornou impossível a manutenção da paralisação. Isso não aconteceu na base de Vitória da Conquista que realmente esteve mobilizada. No entanto, um sindicato sozinho não consegue dar conta de uma greve desse porte. Houve poucos avanços na proposta como o pequeno aumento real, já quase superado pela inflação. Mas hoje é apenas o primeiro dia da Campanha 2016, a luta continua”, concluiu Rodrigo Maia, diretor de Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários de Conquista e funcionário do Banco do Nordeste.

Fonte: Bancários/ VCR

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster