Crédito: Seeb Criciúma
Seeb Criciúma
Mobilização para garantir direito ao almoço de funcionários do Itaú

Sem ter direito ao horário de almoço pela falta de trabalhadores para o atendimento a clientes e usuários, os bancários retardaram nesta segunda-feira, dia 27, o atendimento nas agências do Itaú de Criciúma. As portas ficaram fechadas até as 13h nas agências próximas ao Giassi, na Avenida Centenário, e da Justiça do Trabalho, no bairro Santo Antônio. A atividade marcou o Dia Nacional de Luta, que aconteceu em todo o país.

O diretor do Sindicato dos Bancários de Criciúma e região, Valdir Machado da Silva, explica que existe falta de trabalhadores no banco, principalmente nas agências que atendem na linha de frente, onde há apenas um funcionário efetuando esse tipo de serviço, impossibilitado o mesmo de sair para almoçar “e isso é uma vergonha, indigno para o trabalhador, pois é um direito seu a hora de intervalo”, pondera.

Apesar dos lucros recordes, o banco vem mantendo uma política de demissões e fechamento de postos de trabalho.

O Itaú fechou 18.843 empregos desde a fusão com o Unibanco, dos quais 7.985 somente no ano passado e 708 no primeiro trimestre de 2013.

“Não podemos admitir que o Itaú elimine postos de trabalho, ao invés de contratar funcionários para acabar com a enorme sobrecarga de serviços – como é o caso em Criciúma – e melhorar o atendimento aos clientes e à população”, avalia Valdir.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Criciúma

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster