Crédito: Seebf/PI

Seebf/PI

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bancários participaram de mobilizações em frente à agência da Caixa 

O Sindicato dos Bancários do Piauí lançou na manhã desta quarta-feira (13) a Campanha Nacional dos Bancários 2014, em frente à agência da Caixa Econômica Federal, na Praça Rio Branco, centro de Teresina. Houve apresentação de emboladores e do forrozeiro Zé Benedito.

Dirigentes sindicais também se reuniram com os empregados da agência para repassar os informes sobre a entrega da minuta específica, bem como da pauta de reivindicações da Campanha 2014, na segunda-feira (11), pelo Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, para a Fenaban, em São Paulo. 

A pauta da categoria destaca reajuste de 12,5%, piso de R$ 2.979, mais saúde e melhores condições de trabalho, preservação do emprego, fim da rotatividade e prevenção contra assaltos e sequestros, dentre outras demanadas. A primeira rodada de negociação já foi marcada para os dias 19 e 20 de agosto, sobre o tema saúde e condições de trabalho.

O presidente do Sindicato, Arimatea Passos, enfatizou que o lançamento no Piauí atingiu o objetivo esperado, que foi informar à população que a campanha começou no estado e em nível nacional. “A escolha do local para lançarmos nossa campanha deste ano, na praça Rio Branco, foi perfeita e atingiu pleno êxito”, frisou.
Ele ressaltou também as atividades programadas para comemorar o Dia do Bancário, 28 de agosto, como forma de valorizar a categoria, mas que o foco principal é a campanha.

Arimatea enfatizou, ainda, que a Campanha 2014 engloba vários segmentos e não descarta greve por tempo indeterminado se houver intransigência dos banqueiros no sentido de criar impasse nas rodadas de negociações. “Se vai ter greve ou não, vai depender da proposta que será apresentada pelos donos de bancos”, adiantou o presidente do Sindicato. 

A diretora do Sindicato, Francisca de Assis Araújo, foi enfática ao pedir que os bancários se façam presentes nas assembleias para tomada de decisões, que visam não somente beneficiar a categoria, como também a sociedade de um modo em geral.

Para a dirigente sindical, a greve se faz necessária quando não há outros meios de conseguir alcançar os objetivos da categoria. “Ninguém gosta de greve, mas a gente tem que brigar, tem que tomar partido e assim ficar de um lado. E o sindicato promove reuniões que precisam da presença de todos vocês”, disse.

O vice-presidente do Sindicato, João Sales Neto, pediu o engajamento dos bancários nessa luta que começa agora, mas que só tem sentido com a participação ativa dos trabalhadores nas assembleias. Ele 
esclareceu à população que o Sindicato também vem exigindo dos bancos a instalação de dispositivos que garantam segurança aos bancários e clientes. 

“Estamos lançando a campanha para pedir o apoio de todos e vamos trabalhar para que não aconteça greve, mas se for necessário estaremos unidos para lutar por nossos direitos”, concluiu.


Fonte: Seebf/PI com Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster