O China Development Bank, banco estatal chinês de projetos de obras públicas, pretende abrir um escritório no Brasil no ano que vem para investir em portos, usinas siderúrgicas e energia, disse o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, em visita à China.

O banco prevê instalar a agência na cidade do Rio de Janeiro até meados de 2010, disse Cabral em comunicado. O banco, sediado em Pequim, concordou em maio em emprestar US$ 10 bilhões à Petrobras e concedeu empréstimos ao banco de desenvolvimento da Rússia em junho.

"A China está consolidando os laços com países ricos em recursos naturais", disse Stephen Gallo, diretor de análise de mercado da Schneider Foreign Exchange, em entrevista por telefone a partir de Londres. "Os Estados Unidos vão ficar cada vez mais isolados em termos de onde as potências novas e futuras decidem investir."

A China, a terceira maior economia do mundo, se tornou a principal parceira comercial do Brasil este ano depois que a recessão mundial sufocou as vendas para os EUA. Os BCs dos dois países estão estudando uma proposta de usar suas próprias moedas no comércio bilateral, em vez do dólar.

A decisão do banco de desenvolvimento chinês "será uma forma de a China garantir acesso ao real, para comprar recursos naturais", disse Gallo. O adido de imprensa da Embaixada Chinesa em Brasília preferiu não comentar.

"O Brasil é uma verdadeira fonte de matérias-primas e produtos intermediários para a China importar", disse Donald Straszheim, ex-economista-chefe da Merrill Lynch, que administra a Straszheim Global Advisors, de Los Angeles, Califórnia, uma consultoria para investidores em ativos chineses. "É muito natural que o China Development Bank queira fazer isso."

O banco chinês concordou em emprestar US$ 800 milhões ao BNDES, segundo o próprio banco de fomento. O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse esta semana que a instituição chinesa está oferecendo mais empréstimos caso a petrolífera concorde em comprar produtos chineses.

No Brasil, o banco chinês também manifestou interesse em investir em projetos relativos à Copa do Mundo de 2014 e ao pleito do Rio de sediar as Olimpíadas de 2016, disse Cabral no comunicado, em meio à sua visita à China.

"É uma notícia espetacular, porque a chegada da representação do banco, um dos maiores do mundo, será a plataforma dos investimentos chineses no Rio e no Brasil", disse Cabral.

Fonte: Bloomberg News / Jeb Blount e Veronica Espinosa

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster