Por descumprimento da legislação de segurança, vários bancos acabaram sendo novamente multados nesta quarta-feira, dia 4. Desta vez, eles foram punidos em R$ 1,713 milhão, na 79ª reunião da Comissão Consultiva para Assuntos da Segurança Privada (CCASP), realizada nas dependências da Polícia Federal (PF), em Brasília.

O Bradesco foi o campeão, levando multas no total de R$ 400 mil, seguido do Itaú, Real, Caixa Econômica Federal, Unibanco, Santander, Citibank, Banco do Brasil, HSBC e Nossa Caixa. Seis agências – três do Unibanco e três da Nossa Caixa – foram interditadas.

Veja o valor das multas aplicadas por banco:

Bradesco – 400.000,00
Itaú – 200.000,00
Real – 180.000,00
Caixa – 170.000,00
Unibanco – 140.000,00
Santander – 140.000,00
Citibank – 125.000,00
Banco do Brasil – 88.334,00
HSBC – 80.000,00
Nossa Caixa – 80.000,00
BEP – 30.000,00
Banpará – 20.000,00
BMG – 20.000,00
Rural – 20.000,00
Mercantil do Brasil – 20.000,00

Total – 1.713.334,00

Descaso e irresponsabilidade – Foi a primeira reunião em 2009 da CCASP. Estiveram em pauta 153 processos movidos contra bancos, abertos pelas Delegacias de Segurança Privada (DELESP) de cada Estado, durante o trabalho de fiscalização do plano de segurança das agências e postos de atendimento bancário. Entretanto, vários processos foram retirados da pauta pela Febraban e serão apreciados na próxima reunião. Outros foram arquivados por falhas processuais da PF.

Segundo o diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo e representante da Contraf-CUT, Daniel Reis, a ausência de plano de segurança aprovado pela PF, contrariando a lei federal nº 7.102, de 1983, foi o motivo principal das punições aplicadas contra os bancos. Outras irregularidades apontadas pela PF foram: transporte irregular de valores, falta de vigilante no auto-atendimento e alarme inoperante. "Os bancos agem com enorme descaso e irresponsabilidade, tornando agências e postos vulneráveis e expondo ao risco os trabalhadores e os clientes", destacou o dirigente sindical.

"Lamentável é que a maioria dos integrantes da CCASP votou pelo arquivamento de processos originados antes da Mensagem nº 92, de 09.07.2008, a qual desobriga a existência de no mínimo dois vigilantes nas agências no horário de almoço. Com isso, várias unidades que descumpriram o plano de segurança deixaram de ser penalizadas", salientou o diretor o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e representante da Federação dos Bancários do RS, Ademir Wiederkehr, que também participou da reunião.

Ainda foram julgados processos contra empresas de segurança e vigilância, transporte de valores e centros de formação, com a aplicação de advertências, multas e cancelamento de registro de funcionamento.

Nova mensagem sobre vigilantes – O coordenador da CCASP, delegado Adelar Anderle, anunciou que nos próximos dias a PF emitirá nova mensagem acerca do número mínimo de vigilantes nas agências, diante das ponderações feitas pelas DELESP dos estados. "A Mensagem nº 92 é um equívoco. A agência fica um terço do horário de atendimento com apenas um vigilante, o que viola a legislação e fragiliza a segurança", apontou o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes (CNTV), José Boaventura Santos.

"A nova mensagem é bem-vinda", adiantou Daniel. Desde que saiu a Mensagem nº 92, a Contraf-CUT tomou medidas contra essa orientação da PF. "Além de denúncias, foi enviado um documento para a PF e uma carta ao ministro da Justiça, Tarso Genro, mostrando os problemas ocasionados e propondo a sua imediata revogação", ressaltou o diretor do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e representante da Fetraf-MG, Leonardo de Souza Fonseca, que igualmente acompanhou a reunião.

Balanço de 2008 e metas para 2009 – Anderle fez um balanço das principais atividades da CCASP em 2008. Ele informou que aumentou o número de processos e foram aplicadas multas superiores a R$ 21 milhões, mostrando a melhoria do trabalho de fiscalização da PF.

Confira os principais números apresentados:
– 1.675.415 vigilantes cadastrados na PF;
– 1.463 empresas de vigilância cadastradas na PF;
– 33.226 estabelecimentos financeiros cadastrados na PF;
– 2.593 processos julgados na CCASP;
– 1.852 multas aplicadas pela CCASP, totalizando R$ 21.553.690,97.

O delegado frisou que a principal meta de 2009 é "promover o novo Estatuto da Segurança Privada pelo Congresso Nacional com respectivo Regulamento e publicação de Portaria respectiva". Ele também pretende efetuar a "descentralização da CCASP, com a criação de CCASP regional para julgar os processos de cada Estado, tornando a CCASP nacional grau recursal". Também defendeu a "continuidade da Operação Varredura (Plano Nacional de Fiscalização) e fortalecimento das entidades fiscalizadoras".

A reunião contou com a presença do novo diretor executivo Luiz Pontal, o segundo cargo mais importante na estrutura da PF. Também participaram os chefes das DELESP de todos os estados e duas advogadas do Ministério da Justiça.

Fonte: Contraf/CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster