Os bancos globais se estabilizaram desde que a crise econômica e financeira os atingiu no ano passado, disse o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, nesta sexta-feira. Mas ainda há trabalho a se fazer para assegurar a retomada do crescimento econômico.

"Acho que estamos em um ponto em que os bancos se estabilizaram, mas ainda não temos uma estratégia para um retorno completo ao crescimento", afirmou Brown em seminário com economistas para discutir a reforma financeira internacional, em preparação para a cúpula do G20, em Pittsburgh, em setembro.

A economia britânica se retraiu em mais de duas vezes o esperado no segundo trimestre, mostraram dados divulgados nesta sexta-feira.

Brown disse que uma questão que pretende trazer ao seminário é o tema das reservas monetárias internacionais, afirmando que as grandes nem sempre são boas.

"Eu quero levantar o assunto das reservas, a manutenção de reservas substanciais, que podem não ser totalmente para o benefício do crescimento da economia global", destacou em comentários iniciais para um pequeno grupo de jornalistas.

CONSENSO ILUSÓRIO

Brown afirmou que ainda existe trabalho a ser feito para se alcançar um acordo global para a reforma de instituições como o Fundo Monetário Internacional (FMI), criado após a Segunda Guerra Mundial.

"Nós gostaríamos de poder apresentar ao G20 em Pittsburgh que existe um consenso crescente sobre a necessidade de reforma das instituições internacionais para que elas possam cumprir todas essas novas tarefas para a economia global", disse.

"Isso demanda um grande acordo com um apoio maior do que se tem no momento e nós teremos que trabalhar muito para conseguir isso", acrescentou. "Mas eu acho que existem ganhos com um entendimento entre os países de mercados emergentes e a América do Norte e Europa sobre o que pode ser feito.

Fonte: Reuters / Keith Weir, Londres

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster