São Paulo – Não às demissões. Essa é a principal preocupação dos dirigentes da Contraf-CUT, do Sindicato dos bancários de São Paulo, e demais Sindicatos em relação às fusões. No caso do Itaú-Unibanco, a rodada de negociação realizada no último dia 7 garantiu para os trabalhadores um centro de realocação profissional interno que tem por objetivo evitar demissões transferindo os funcionários dos dois bancos para possíveis vagas que surgirem no processo de fusão. Os bancários que quiserem se inscrever no centro de realocação podem fazê-lo a partir desta quinta, dia 9, por meio do Portal Pessoas, do Itaú, e do Portal Unibanco.

Outro programa, o Faça Sua Carreira na Rede, também está acertado. Voltado somente para o pessoal das áreas administrativas – onde haverá mais sobreposição de funções com a fusão – que migrarão para agências bancárias, o programa prevê qualificação e treinamento para todos os trabalhadores. "É importante que, além disso, os processos de avaliação de desempenho levem em conta um período de adaptação para esses bancários transferidos. Não dá para exigir a mesma performance de um trabalhador que está há anos no mesmo serviço e outro que está assumindo a função agora", avisa o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, que participa das negociações com Itaú-Unibanco.

Agências – De acordo com os diretores do banco, as novas agências seguirão o modelo das do Itaú, que contam com mais funcionários voltados para o atendimento, com uma base operacional e comercial mais forte.

"Diante disso, sugerimos à direção da empresa que crie pelo menos dois novos cargos por agência: um de assistente de gerente e outro de gerente pessoa física. O número de contas por gerente está muito alto e pode ser dividido. Isso melhoraria a qualidade do atendimento, reduziria a pressão do Agir (programa de metas) e, o mais importante, criaria vagas, evitando demissões na fusão", afirma.

"Está claro, o banco não tem porque demitir. São duas grandes empresas, fortes, com excelente saúde financeira e milhões de clientes por todo o Brasil. Para essa fusão ter o resultado que vem sendo anunciado, são necessários ainda mais bancários do que os quadros dos dois bancos já mantêm", diz Marcolino, destacando que a instituição financeira ainda está devendo uma garantia de emprego por tempo determinado, para dar tranqüilidade aos seus empregados, durante a fusão.

Aposentadoria – O banco está analisando outra reivindicação do Sindicato: a criação de um programa de incentivo às aposentadorias, com o objetivo de abrir vagas e evitar demissões.

PCR – O Sindicato apresentou aos diretores do banco uma proposta para o Programa Complementar de Remuneração (PCR). "É um novo modelo, mais simplificado e baseado na receita de prestação de serviços dos bancos e com teto. Queremos buscar formatos que evitem as confusões dos vários balanços divulgados", relata Marcolino.

Auxílio-educação – As inscrições para a adesão ao auxílio-educação estão abertas. Serão disponibilizadas 1.400 bolsas aos bancários do Itaú, com pagamento retroativo ao primeiro trimestre de 2009.

Ações judiciais – Itaú e Unibanco ainda não providenciaram o levantamento, solicitado pelo Sindicato, sobre as dispensas ocorridas nos últimos três meses de bancários que moveram ações civis ou trabalhistas contra a empresa.

Enquanto isso não acontece, o Sindicato não vai homologar demissões de bancários com ações judiciais contra esses bancos. "Denúncias continuam chegando ao Sindicato e, se essa perseguição existe, viola um direito fundamental de qualquer trabalhador. Não vamos homologar porque vamos pedir a reintegração de todos os bancários que estiverem nessa situação", ressalta o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino. "Ações trabalhistas são um recurso que o bancário tem para reclamar direitos usurpados como a 7ª e 8ª horas e a equiparação salarial. Se a empresa não honrou o que deve aos seus funcionários, eles devem mesmo procurar a Justiça e não podem ser punidos por isso", completa Marcolino.

Conheça as regras do programa de realocação

O banco divulgou nesta quarta, dia 8, as regras para o que intitula Programa de Oportunidade de Carreira (POC), o programa de realocação reivindicado pelo Sindicato. A partir desta quinta, 9 de abril, os bancários já podem ter acesso às regras e às vagas existentes por meio do Portal Pessoas do Itaú e do Portal Unibanco. O banco anunciou que "as contratações externas continuam suspensas para que possamos promover o encarreiramento de talentos internos".

Confira algumas regras:

· O bancário pode participar de até oito processos de realocação por ano, podendo ser até três ao mesmo tempo;
· Avalie bem seu perfil profissional antes de fazer inscrição para uma vaga, para não desperdiçar oportunidades e seu limite de inscrições;
· Bancários do Itaú e Unibanco estão em igualdade de condições, seja qual for a vaga disponível;
· Os processos seletivos consistem em análise do currículo, dinâmica de grupo, entrevista individual com o gestor solicitante da vaga e retorno a todos os candidatos;
· Podem se inscrever bancários admitidos há mais de um ano seja no Itaú ou no Unibanco. Em casos de promoção de cargo na mesma área há carência de seis meses, e para transferência há carência de um ano.

Fonte: Cláudia Motta – Seeb/SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster