Não dava para ficar parado só olhando mais esse abuso dos banqueiros. Atendendo ao apelo dos bancários, logo nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira, dia 19, o Sindicato dos bancários de São Paulo, Osasco e região já estava na frente dos portões da Cidade de Deus, do Bradesco, para mostrar toda a indignação dos trabalhadores com a federação dos bancos (Febraban), que cassou na Justiça o feriado histórico de aniversário da cidade de Osasco e obrigou os bancários a trabalhar. Todos os estabelecimentos comerciais e serviços da cidade estão fechados, com as exceções de praxe.

O maior interessado em atropelar a folga dos bancários é o Bradesco, que tem na Cidade de Deus sua maior concentração de funcionários (cerca de 10 mil trabalhadores) e de onde controla boa parte de todas as suas operações em todo o país.

"Eu já tinha combinado há algumas semanas com meus filhos de irmos ao zoológico no dia 19 de fevereiro, porque é sempre um dia de descanso para nós aqui em Osasco. Ainda tinha esperanças que a decisão judicial fosse revista até a última hora e por isso ainda não tinha cancelado a programação, mas ontem tive que falar para as crianças que não iríamos mais passear. Vim trabalhar deixando meus filhos tristes em casa e muito chateada", afirmou uma bancária do Bradesco, que não será identificada.

Satisfeita – Os bancários aprovaram a presença do Sindicato nos portões da concentração do Bradesco. "Só o fato de o Sindicato vir até aqui já me deixou satisfeita, isso não poderia passar em branco", afirmou outra bancária, que lembrou ainda da dificuldade enfrentada pelos pais e mães que não tiveram onde deixar seus filhos para ir trabalhar em pleno feriado, uma vez que as creches estão fechadas. Ela lembrou que a própria Fundação Bradesco, que conta com creche usada por muitos bancários, não funcionou nesta quinta-feira por conta do aniversário da cidade.

Até as 9h, os funcionários do Bradesco permaneceram do lado de fora da Cidade de Deus, quando, após pressão da Polícia Militar, que chegou ao local com várias viaturas e arrancou faixas de protesto, os bancários entraram para trabalhar. Antes disso, foi realizada uma votação para decidir pelo ingresso de uma ação judicial capitaneada pelo Sindicato exigindo pagamento de 100% de horas extras pelas horas trabalhadas neste dia 19 de fevereiro. A proposta foi aproada por unanimidade.

Solidariedade – O deputado estadual Marcos Martins (PT) e o vereador de Osasco Rubens Bastos foram à porta da concentração do Bradesco nesta quinta prestar solidariedade aos bancários. Lideres sindicais de inúmeras categorias também estiveram presentes para dar apoio e mostraram-se preocupados com a possibilidade de que a prática de cassar feriados venha a se repetir com outras categorias de trabalhadores.

Fonte: Jair Rosa e Danilo Pretti Di Giorgi – Seeb/SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster