Crédito: Seeb Porto Alegre
Seeb Porto Alegre

Nesta sexta-feira, dia 8, o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários) esteve reunido, na Prefeitura de Porto Alegre, com o prefeito José Fortunati e o secretário de Direitos Humanos e Segurança Urbana da Capital, Nereu D’Avila.

Os dirigentes sindiais reivindicaram medidas de segurança para coibir o crime conhecido por "saidinha de banco", que ocorre quando as pessoas são assaltadas fora dos bancos, após retirarem valores nas agências e caixas eletrônicos. Entregaram ao prefeito documentos com informações sobre ações desenvolvidas em outros estados.

O presidente do SindBancários, Juberlei Baes Bacelo, lembrou que a Capital tem jurisprudência em segurança bancária, mas falta fiscalização. "Aprovamos, por exemplo, a lei que obriga os bancos a colocarem vidros blindados, mas até agora nada foi feito". O dirigente sindical foi enfático ao destacar que o principal objetivo do encontro era conter o crime que vem aumentando na Capital.

O diretor Jurídico do SindBancários, Lúcio Paz, ressaltou que a colocação de biombos apresenta-se como uma das melhores alternativas para garantir a privacidade do cliente e do trabalhador, durante a transação no caixa.

Fortunati encaminhou solicitação à assessoria jurídica do Município para estudar as legislações de segurança bancária, a fim de constituir um Código de Segurança do Sistema Bancário. Esse instrumento, a ser construído com a participação do SindBancários, representante dos bancos e o Executivo Municipal, deverá reunir todas as leis em vigor, atualizando-as e estabelecendo medidas para a sua aplicação.

Também participaram da audiência o secretário-geral do SindBancários, Fábio Soares Alves, e o diretor de Políticas Sociais e Cidadania, Mauro Salles Machado.

Veja alguns pontos da proposta de projeto de lei:

– Sistema de monitoramento e gravação eletrônica de imagens (com alta resolução), em tempo real, através de circuito fechado de televisão, interligado com a central de controle;

– Porta giratória obrigatória em todas as agências bancárias com recuo após a fachada externa para facilitar o acesso, com armário de portas individualizadas e chaveadas para guardar objetos de clientes;

– Assento apropriado com escudo de proteção para o vigilante;

– Vidros laminados resistentes a impactos e a disparos de armas de fogo, nas fachadas externas com nível de proteção III-A (blindagem), de acordo com a norma internacional;

– Divisórias entre os caixas eletrônicos para garantir a privacidade dos clientes durante as suas operações bancárias.

– Colocação de biombos e similares.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Porto Alegre

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster