Dirigentes da Contraf/CUT, da Fetec-SP e dos sindicatos de bancários de Jundiaí e São Paulo realizaram nesta quarta-feira, dia 8, ato em frente a unidade de Jundiaí da empresa terceirizada Fidelity. Os bancários distribuíram jornal e realizaram uma malhação de Judas.

Impedidos de entrar no estacionamento da empresa para fazer a distribuição dos panfletos, os trabalhadores pararam os ônibus ainda na entrada e distribuíram os jornais para os empregados da Fidelity.

Após a chegada do último ônibus, os bancários começaram a malhação de Judas, com bonecos representando o presidente Reginaldo Zero e os bancos Bradesco e Santander-Real. Os funcionários da Fidelity assistiram à malhação, que terminou com a queima dos bonecos.

Nesse momento, a polícia mais uma vez desempenhou um papel questionável frente a uma manifestação legítima de trabalhadores, tentando apagar os bonecos e prejudicar o ato. "Foi uma manifestação pacífica, sem qualquer problema. O papel da Polícia é defender a sociedade brasileira, incluindo os trabalhadores, e não tomar partido por uma empresa americana", afirma Lindiano José da Silva, diretor da Contraf/CUT e funcionário da Fidelity.

Fonte: Contraf/CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster