Homens fortemente armados e explosões a caixas eletrônicos já entraram para a rotina de cidades no interior da Bahia. Nos últimos três dias foram registrados três atentados, uma média de um ataque a cada dia. Depois de Aracatu e Andaraí, no sudoeste baiano, na terça-feira 7 o alvo dos bandidos foi o município de Ibirapitanga, na mesma região, a cerca de 350 km de Salvador.
 

A ação ocorreu por volta das 4h quando os assaltantes explodiram dois caixas eletrônicos. Com a explosão, um equipamento ficou totalmente destruído e o outro parcialmente danificado. A polícia local ainda não tem informações dos suspeitos, mas descarta a possibilidade de relação entre os três crimes.

De acordo com o investigador da Polícia Civil, Marcos Antônio Oliveira da Silva, as ruas de Ibirapitanga estavam desertas no momento do crime, o que facilitou a ação e fuga dos bandidos. Não houve reféns e não se sabe ainda se os envolvidos conseguiram levar algum dinheiro dos caixas. O Departamento de Perícia Técnica (DPT) investiga se ação foi frustrada ou bem- sucedida.

Conforme estatísticas do Sindicato dos Bancários da Bahia até a tarde de ontem foram contabilizados 41 assaltos e 10 explosões de caixas eletrônicos. O número é quase o dobro do contabilizado no mesmo período de 2010, quando foram registradas 30 ocorrências, entre assaltos a agências e explosões a caixas eletrônicos.

A polícia investiga se há ligação entre os grupos, mas a discrição dos bandidos que atuaram em Ibirapitanga e o horário escolhido para executar o plano são fortes indícios de que se trata de quadrilhas diferentes. Na manhã da segunda-feira 6, cinco homens encapuzados e com armas de grosso calibre invadiram o município de Andaraí efetuando disparos.

O prefeito de Ibirapitanga, Antônio Conceição Almeida, disse acreditar que o problema não é a falta de policiamento no município e defende que cada banco deveria ter um segurança particular. A cidade tem quatro policiais militares no momento. "A cidade não tem condição para manter um policial em cada lugar desse", disse.

Esse é o terceiro caso de atentado a bancos em três dias. O último ocorreu na manhã da última segunda-feira, no município de Andaraí, localizado na região da Chapada Diamantina. O prefeito Wilson Cardoso contou que cinco homens encapuzados e com armas de grosso calibre entraram na cidade efetuando disparos. O crime aconteceu em dia de pagamento dos aposentados e, segundo o prefeito, no momento do roubo havia uma grande fila para recebimento do pagamento.

No dia seguinte à ação, a cidade de Aracatu também foi alvo de criminosos audaciosos. A quadrilha fez pelo menos 15 pessoas reféns e assaltou vários pontos comerciais, além de furtarem carros e trocarem tiros com a policia. Na maioria dos casos, a modalidade é a mesma. Homens com armamento pesado invadem a cidade, encapuzados, sequestram funcionários do banco e efetuam os assaltos. Em caso de explosões, escolhem a madrugada para destruir os equipamentos e levar o dinheiro.

A cidade de Wanderley, no extremo oeste do estado, também foi alvo do mesmo tipo de ação criminosa. Um bando, composto por oito a 14 homens fortemente armados com fuzil e pistolas, chegou atirando. Os assaltantes fizeram um refém e fugiram em direção à cidade de Cotegipe.

O uso de reféns como "escudos humanos" também tem se tornado comum, como ocorreu em Macarani. Além de render dois vigilantes e se apossar dos seus celulares, os bandidos surpreenderam alguns transeuntes e mandaram que todos se deitassem na calçada. Os bandidos também levaram pânico a Mairi, Mucugê, Iaçu, Abaíra, Poções, Piripá, Vitória da Conquista, Aracatu, Condeúba e Barra da Estiva.

Fonte: Tribuna da Bahia / Catiane Magalhães e Roberta Cerquiera

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster